Repositório Digital

A- A A+

Imagens sociais atribuídas a jovens institucionalizados e a instituições de acolhimento

.

Imagens sociais atribuídas a jovens institucionalizados e a instituições de acolhimento

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Imagens sociais atribuídas a jovens institucionalizados e a instituições de acolhimento
Autor Wendt, Bruna
Orientador Dell'Aglio, Debora Dalbosco
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.
Assunto Acolhimento
Imagem
Institucionalização
Jovens
[en] Residential care institutions
[en] Social images
[en] Youth in care
Resumo Este trabalho teve por objetivo investigar e discutir as imagens sociais atribuídas às instituições de acolhimento e aos jovens institucionalizados, a partir de dois estudos empíricos exploratórios. O estudo I investigou as imagens sociais atribuídas às instituições de acolhimento. Participaram da pesquisa 202 adultos selecionados por conveniência, com idades entre 16 e 69 anos (M=32,76, DP=11,67), sendo a maioria do sexo feminino (79,2%), solteiro (51%), com ensino médio (48%) ou curso superior (37,6%). Os participantes responderam a um questionário aberto utilizando até cinco palavras para descrever uma instituição de acolhimento. O estudo II investigou as imagens sociais atribuídas aos jovens em acolhimento institucional. Participaram 224 adultos selecionados por conveniência, com idades entre 18 e 71 anos (M=33,97, DP=11,42), sendo que 68,4% já tiveram contato com adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco. Foi utilizado um questionário fechado, com 37 palavras para descrever os jovens típicos e em acolhimento, com itens em escala Likert. Os resultados do primeiro estudo indicam que as imagens sociais sobre as instituições de acolhimento, em geral, são positivas e que predominam as percepções relacionadas ao acolhimento/proteção e à organização. Os resultados do segundo estudo apontam que as palavras consideradas negativas foram significativamente mais associadas aos jovens em acolhimento institucional, indicando haver uma imagem social negativa desta população. Embora as mudanças legais e políticas referentes à proteção infantojuvenil venham contribuindo para a qualificação dos serviços de acolhimento, permanecem os estigmas que classificam os jovens inseridos nesse contexto. É importante que se faça uma reflexão social coletiva sobre essa realidade a fim de que se encontrem estratégias de modificação do imaginário social que ainda rotula e discrimina essa população.
Abstract This study aimed to investigate and discuss the social images associated to the residential care institutions and the young people in care through two exploratory empirical studies. The first study investigated the social images assigned to the residential care institutions. The participants were 202 adults selected by convenience, aged 16 to 69 years old (M=32.76, SD=11.67), mostly female (79.2%), single (51%), with high school (48%) or higher education (37.6%). The participants answered an open questionnaire using up to five words to describe a residential care institution. The second study investigated the social images assigned to young people in care. The participants were 224 adults selected by convenience, aged 18 to 71 years old (M=33.97, SD=11.42), 68.4% of them have already had contact with teenagers in vulnerability and risk situations. The instrument was a Likert scale questionnaire with 37 words used to describe young people in general and in care. The results of the first study indicated that social images are generally positive, prevailing perceptions related to care/protection and organization. The results of the second study indicated that the negative words were significantly more associated with young people in care, indicating that there is a negative social image related to this population. Although legal and political changes concerning children and youth protection have been contributing to the qualification of residential care institutions, the stigmas that classify young people inserted in this context remain. It is important to make a collective social reflection about this reality in order to find strategies to modify the social imaginary that still labels and discriminates this population.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/141329
Arquivos Descrição Formato
000992422.pdf (1.201Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.