Repositório Digital

A- A A+

Nothing ever ends

.

Nothing ever ends

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Nothing ever ends
Autor Lazzarin, Fernando Vieira
Orientador Maggio, Sandra Sirangelo
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Língua Moderna: Inglês: Licenciatura.
Assunto Crítica literária
Durand, Gilbert, 1921-
Eliade, Mircea, 1907-1986
Gibbons, Dave, 1949-. Watchmen
História em quadrinhos
Literatura inglesa
Moore, Alan, 1953-. Watchmen
Tempo
[en] Literary criticism
[en] Time
Abstract This monograph consists of a study of the representations of time in the graphic novel Watchmen, by Alan Moore and Dave Gibbons, in the light of Mircea Eliade’s ideas about Eternal Return and Gilbert Durand’s myth criticism. It aims at analyzing and discussing the theme of “time”, as employed by the authors, in order to contribute to a deeper understanding of the novel. It aims also at exploring the theme in its symbolic and mythological significance. The effort of banishing Time and History, enacted by Ozymandias, in opposition to the apparent simultaneous time in which Dr. Manhattan exists is discussed. We identify the presence of multiple narratives superimposed by means of speech balloons and panels. The main narrative thread is presented through the filter of an extradiegetic narrator, who organizes the novel, its chapter, and notes. The diegetic and metadiegetic narratives, the main narrative and the “Tales of the Black Freighter”, are analyzed in order to illustrate the theme of “time”, and its significance to the development of the characters is discussed. The chapter of analysis centers on two characters: Jon Osterman, also known as Dr. Manhattan and Adrian Veidt, whose alias is Ozymandias. The analysis of certain passages is used to explore these representations on the psychological level of the characters. In the end, it is concluded that time is arranged and dealt with in a multitude of symbolic layers, and that it is used as both a means to convey a complex narrative and as a reflection on the nature of time itself.
Resumo Trata-se de uma leitura sobre representações do tempo na obra Watchmen, de Alan Moore e Dave Gibbons, à luz das ideias de Mircea Eliade sobre Eterno Retorno e da mitocrítica de Gilbert Durand, buscando uma maior compreensão sobre as funções da temática do tempo neste romance gráfico. O tópico será explorado em seus aspectos simbólicos e míticos. Discutiremos as apresentações díspares encontradas no esforço de Ozymandias para banir o Tempo e a História, que se opõe aos tempos simultâneos em que se movimenta o Dr. Manhattan. Identificarei como são apresentadas as narrativas múltiplas através de diferentes tipos de balões de fala e de painéis. O fio condutor será analisado através do filtro do narrador extradiegético que dá forma à narrativa e organiza seus capítulos e notas. As narrativas diegéticas e metadiegéticas, a trama principal e os “Contos do Cargueiro Negro” serão considerados em função de como agregam à temática do tempo e quanto ao que significam para o desenvolvimento das personagens. O capítulo de análise se constrói sobre a leitura de duas personagens: Jon Osterman, também conhecido como Dr. Manhattan, e Adrian Veidt, cujo codinome é Ozymandias. A análise de algumas passagens será feita para explorar as representações psicológicas dessas personagens. No final, espera-se obter um painel das representações do tempo em Watchmen que decodifique a diversidade de camadas simbólicas que compõem a obra e que revele a complexidade dessa narrativa e da discussão que ela apresenta com respeito à temática da temporalidade.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/141883
Arquivos Descrição Formato
000992159.pdf (234.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.