Repositório Digital

A- A A+

Quão ameaçadas estão Parastacus brasiliensis e Parastacus defossus em Porto Alegre, RS? análise da perda de habitat potencial em decorrência da expansão urbana

.

Quão ameaçadas estão Parastacus brasiliensis e Parastacus defossus em Porto Alegre, RS? análise da perda de habitat potencial em decorrência da expansão urbana

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Quão ameaçadas estão Parastacus brasiliensis e Parastacus defossus em Porto Alegre, RS? análise da perda de habitat potencial em decorrência da expansão urbana
Outro título How endangered are Parastacus brasiliensis and Parastacus defossus in Porto Alegre, RS? analysis of potential habitat loss as a result of urban sprawl
Autor Pinheiro, Patrícia Goulart
Orientador Hasenack, Heinrich
Co-orientador Gomes, Kelly Martinez
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Bacharelado.
Assunto Habitat
Parastacus
Porto Alegre (RS)
[en] Change analysis
[en] Crayfishes
[en] GIS
[en] Land use
Resumo Os parastacídeos, crustáceos popularmente conhecidos como lagostins de água doce, podem ser encontrados em arroios, nas proximidades de corpos d’água doce e áreas úmidas no sul da América do Sul. No Brasil as espécies de Parastacus estão restritas ao RS e SC, onde se verifica a ocorrência de seis das oito espécies conhecidas para o gênero. Parastacus brasiliensis (von Martens, 1869) é uma espécie endêmica para RS, que habita córregos e rios de algumas bacias hidrográficas do estado. Parastacus defossus Faxon, 1898 habita as áreas úmidas do RS e do Uruguai, sendo conhecido pelo seu alto potencial escavador. Solos compostos por partículas areno-argilosas e que tem maior proximidade da água são mais favoráveis à escavação dos lagostins. Os objetivos deste estudo são identificar áreas de hábitat potencial no município de Porto Alegre, RS e mensurar quanto desse hábitat foi e poderá vir a ser perdido em função da expansão urbana sobre essas áreas. Para avaliar o hábitat potencial utilizou-se dados espaciais de solos, declividades e uso da terra. Mapas de urbanização em 1975 e 2002 serviram de base para predizer a urbanização em 2029. A área potencial para Parastacus em Porto Alegre corresponde a 47,73% da área do município. Dessa área, 19,89 % estava ocupada por urbanização em 1975, 39,72 % em 2002 e a predição para 2029 é de que 42,92% estará ocupado por urbanização. A ocupação da maior parte das áreas aptas para urbanização até 2002 parece ser a razão da diminuição da taxa de urbanização em áreas de hábitat potencial dos lagostins. Mapas mais detalhados de solos e de urbanização permitiriam identificar pequenas áreas de hábitat potencial não capturadas pelos dados usados no presente trabalho.
Abstract Parastacids are crustaceans popularly known as freshwater crayfishes, which can be found in streams, near watercourses and floodplains (wetlands) in southern South America. In Brazil Parastacus species are restricted to RS and SC, where it checks for six of the eight known species of the genus. Parastacus brasiliensis (von Martens, 1869) endemic species to RS, which inhabits the streams and rivers of some hydrographic basins of state. Parastacus defossus Faxon, 1898 inhabits the wetlands of RS and Uruguay, and is known for its high digger potential. The present study aims to identify potential habitat areas in Porto Alegre, RS and calculate how much of this habitat was or may be lost for urban development. To generate the map of potential habitat soil and slope maps were used. The urbanization was taken from land use land cover maps (LULC) for the years 1975 and 2002 and LULC map for 2029 was predicted using Markov chains. The potential habitat covers 47,73% of the municipality (4 km²). Urban development took 19,89% in 1975, 39,72 % in 2002 and may occupy in 2029 42,92 % of the potential habitat area for Parastacus. Most of the potential area was already used by urbanization in 2002, what seems to be a reason why the prediction of urban development shows a lower habitat loss. Soil and LULC maps with higher detail would probably show small areas of potential habitat not detected in the present study.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/142149
Arquivos Descrição Formato
000991097.pdf (965.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.