Repositório Digital

A- A A+

Explorando jardins comestíveis via plantas alimentícias não convencionais com mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Assentamento Filhos de Sepé

.

Explorando jardins comestíveis via plantas alimentícias não convencionais com mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Assentamento Filhos de Sepé

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Explorando jardins comestíveis via plantas alimentícias não convencionais com mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Assentamento Filhos de Sepé
Autor Modelski, Vanessa
Orientador Barros, Ingrid Bergman Inchausti de
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Licenciatura.
Assunto Educação ambiental
Plantas alimentícias
Resumo Tendo em vista o potencial de espécies de plantas alimentícias não convencionais - PANC, este trabalho buscou registrar uma experiência de docência e pesquisa ação com um grupo de mulheres do Assentamento Filhos de Sepé do MST, envolvendo a ocorrência de PANC em alguns jardins deste assentamento, a identificação, caracterização, manejo e usos destas espécies na culinária. Através de oficinas pedagógicas procurou-se explorar a importância das PANC e suas utilizações, na ótica da segurança alimentar e nutricional, visando a autonomia do sujeito e utilizando o jardim como ambiente de ensino-aprendizagem. Uma pesquisa ação expedita sobre as PANC ocorrentes e o conhecimento das mulheres sobre as mesmas foi desenvolvida. Foram elencadas15 espécies de PANC, proporcionando 16 partes comestíveis, sendo que 6 (37,5%) foram conhecidas como potenciais plantas alimentícias, mas não faziam parte dos seus cardápios. As oficinas pedagógicas proporcionaram ação criadora, coletiva e crítico-reflexiva, através de um jeito novo do fazer educativo, onde este aconteceu num espaço de ação, reflexão e ação, aproximando o cotidiano de um grupo de mulheres assentadas do MST à academia. Essa prática permitiu incentivar a ação de futuros multiplicadores ambientais, enquanto sujeitos críticos e ativos na busca de conhecimento, valorização da biodiversidade local e utilização dos recursos vegetais como alimentos. O empenho em dar a conhecer e resgatar o saber fazer, através da execução de receitas de alimentos, preparados coletivamente, em ambiente favorável à desmistificação de preconceitos e receios de comer “matos”, “inços” e outras percepções pejorativas sobre a utilização das PANC, foi bem sucedido. Com este trabalho as famílias das mulheres participantes poderão ter a sua alimentação diária enriquecida, sem custos. O fortalecimento de seus saberes sobre o reconhecimento de espécies de alto valor alimentício, bem como seus sítios de ocorrência e o modo de preparar os alimentos, o alto grau de satisfação e aceitação das PANC qualificam estas mulheres como protagonistas em ações de segurança alimentar e nutricional.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/142164
Arquivos Descrição Formato
000989409.pdf (532.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.