Repositório Digital

A- A A+

Modelagem de nicho ecológico dos golfinhos do gênero Stenella (Cetartiodactyla: Delphinidae) no Oceano Atlântico Sul Ocidental

.

Modelagem de nicho ecológico dos golfinhos do gênero Stenella (Cetartiodactyla: Delphinidae) no Oceano Atlântico Sul Ocidental

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Modelagem de nicho ecológico dos golfinhos do gênero Stenella (Cetartiodactyla: Delphinidae) no Oceano Atlântico Sul Ocidental
Autor Amaral, Karina Bohrer do
Orientador Moreno, Ignacio Maria Benites
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Bacharelado.
Assunto Atlântico Sul, Oceano
Stenella
Resumo O gênero Stenella compreende cinco espécies de golfinhos oceânicos que se distribuem em águas tropicais, subtropicais e temperadas. Através do método de máxima entropia (Maxent), para a modelagem de nicho ecológico, foi possível estimar a distribuição geográfica potencial dos golfinhos no Oceano Atlântico Sul Ocidental. Esta região tem cerca de 2460 km2 e compreende as águas do sul do Equador até 20ºW. Os dados das cinco espécies foram compilados a partir de registros de avistagem georreferenciados existentes na literatura e em bancos de dados públicos. Dados hidrográficos da área de estudo foram retirados do banco de dados Bio-Oracle com resolução de 9,2 km, enquanto que dados referentes a topografia foram extraídos do banco de dados ETOPO1 Global Relief Model na resolução de 1,8 km. As camadas ambientais foram obtidas através do processamento dos dados marinhos no programa ArcGIS (v. 9.3) e padronizadas nas mesmas dimensões espaciais e de resolução. Foram gerados dois conjuntos de camadas ambientais, um conjunto incluindo os dados para a área total de estudo e o outro apresentando os dados apenas de uma região próxima aos registros de ocorrência. Para modelagem de nicho ecológico foi utilizada a versão 3.3.3a do programa Maxent em sua configuração padrão para gerar os modelos com a área total de estudo, e o recurso Projecting utilizado para construir os modelos com a área restrita e, posterior, projeção para área total. Os modelos de distribuição potencial demonstram alta probabilidade de ocorrência das espécies S. attenuata, S. clymene e S. longirostris em águas com temperaturas acima de 25ºC em profundidades maiores que 1000m. Para S. frontalis, o modelo reflete o hiato na distribuição da espécie, entre 6 e 21º S, e indica alta probabilidade de ocorrência entre 20 e 30ºS em uma região costeira. Quanto a S. coeruleoalba, poucas inferências podem ser feitas sobre sua distribuição devido ao baixo número de registros utilizados para gerar os modelos. Os mapas de distribuição potencial gerados pelo Maxent revelam padrões de distribuição restritos a uma fina escala espacial e adicionam importantes informações onde previamente não havia conhecimento sobre os limites de distribuição das espécies oceânicas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/142552
Arquivos Descrição Formato
000835240.pdf (2.073Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.