Repositório Digital

A- A A+

Três ensaios sobre política monetária no Brasil : assimetrias nos efeitos reais de choques monetários, preferências do Banco Central e regras monetárias ótimas

.

Três ensaios sobre política monetária no Brasil : assimetrias nos efeitos reais de choques monetários, preferências do Banco Central e regras monetárias ótimas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Três ensaios sobre política monetária no Brasil : assimetrias nos efeitos reais de choques monetários, preferências do Banco Central e regras monetárias ótimas
Autor Aragón, Edilean Kleber da Silva Bejarano
Orientador Portugal, Marcelo Savino
Data 2008
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Economia.
Assunto Brasil
Inflação
Inflação : Metas
Política monetária
Taxa de juros
[en] Business cycle
[en] Central bank preferences
[en] Nonlinear interest rate rules
[en] Optimal monetary policy
[en] Positive and negative monetary shocks
Resumo Esta tese é composta de três ensaios. No primeiro ensaio, nós examinamos se os efeitos reais das ações de política monetária no Brasil são assimétricos. Para isto, estimamos modelos Markov-switching que permitem que os choques monetários positivos e negativos afetem a taxa de crescimento do produto de forma assimétrica nos estados de expansão e recessão econômica. Os resultados obtidos mostram que: i) quando as ações de política monetária são mensuradas através das inovações ortogonalizadas para a taxa Selic em um modelo VAR, os efeitos reais de choques monetários negativos são maiores do que os de choques positivos no estado de expansão e os efeitos reais de choque negativos são maiores em expansão do que em recessão econômica; ii) quando a variação na taxa de juros Selic é tomada como medida de política monetária, nós constatamos também assimetrias entre os efeitos reais de variações positivas e negativas na taxa Selic durante a fase de recessão, e entre os efeitos reais de variações negativas na taxa Selic entre as fases do ciclo de negócios. No segundo ensaio, nós procuramos aperfeiçoar o entendimento da política monetária brasileira sob o regime de metas de inflação através da calibração das preferências do Banco Central. m específico, nós calibramos a função perda do policymaker escolhendo, de uma ampla classe de políticas alternativas, os valores dos parâmetros de preferência que minimizam o desvio entre a trajetória ótima e a trajetória verdadeira da taxa Selic. Nossos resultados mostram que o Banco Central tem adotado um regime de metas de inflação flexível e dado um maior peso à estabilização da inflação. Nós constatamos também que a preocupação da autoridade monetária com a suavização da taxa de juros tem sido maior do que com a estabilização do produto. O terceiro ensaio investiga a existência de possíveis assimetrias nos objetivos do Banco Central. Assumindo que a função perda é assimétrica em relação a desvios positivos e negativos do gap do produto e da taxa de inflação em relação à meta, nós estimamos uma função de reação não-linear que permite identificar e testar a significância estatística dos parâmetros de assimetrias nas preferências da autoridade monetária. Para o período de 2000-2007, os resultados indicaram que o Banco Central brasileiro apresentou uma preferência assimétrica a favor de uma inflação acima da meta. Visto que este comportamento pode ser decorrente das decisões de política em momentos de fortes crises (tais como as de 2001 e 2002), nós delimitamos a nossa amostra para o período de 2004-2007. Para este período, nós não encontramos evidências empíricas apontando para qualquer tipo de assimetria nas preferências sobre a estabilização da inflação e do gap do produto.
Abstract This thesis is composed of three essays. In the first essay, we check whether the effects of monetary policy actions on output in Brazil are asymmetric. Therefore, we estimate Markov-switching models that allow positive and negative shocks to affect the growth rate of output in an asymmetric fashion in expansion and recession states. Results show that: i) when monetary policy actions are measured by means of orthogonalized innovations for the Selic rate in a VAR model, the real effects of negative monetary shocks are larger than those of positive shocks in an expansion and the real effects of negative shocks are greater in an expansion than in a recession; ii) when the variation in the Selic rate is used to measure monetary policy, we also have asymmetries between the real effects of positive and negative variations in the Selic rate during a recession, and between the real effects of negative variations of the Selic rate between the states of the business cycle. In the second essay, we seek to further elucidate the Brazilian monetary policy under the inflation targeting regime by calibrating Central Bank preferences. More specifically, we calibrate the policymaker’s loss function by choosing the preference parameter values which minimize the deviation between the optimal and actual paths of the basic interest rate (Selic). Our results indicate that the Central Bank has adopted a flexible inflation target regime and placed some greater weight upon inflation stabilization. We also find out that the monetary authority’s concern with interest rate smoothing has been far deeper than with output stabilization. The third essay investigates the existence of possible asymmetries in the Central Bank of Brazil’s objectives. By assuming that the loss function is asymmetric with regard to positive and negative deviations of the output gap and of the inflation rate from its target, we estimated a nonlinear reaction function which allows identifying and checking the statistical significance of asymmetric parameters in the monetary authority’s preferences. For years 2000 to 2007, results indicate that the Central Bank of Brazil showed asymmetric preference over an above-target inflation rate. Given that this behavior may stem from policy decisions in periods of severe crises (e.g., in 2001 and in 2002), we restricted our sample to the 2004-2007 period. We did not find any empirical evidence of any type of asymmetry in the preferences over the stabilization of inflation and of the output gap for this period.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/14268
Arquivos Descrição Formato
000660577.pdf (2.854Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.