Repositório Digital

A- A A+

Os caminhos da "transmissão da mensagem" narcóticos anônimos na penitenciária feminina Madre Pelletier em Porto Alegre, RS

.

Os caminhos da "transmissão da mensagem" narcóticos anônimos na penitenciária feminina Madre Pelletier em Porto Alegre, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Os caminhos da "transmissão da mensagem" narcóticos anônimos na penitenciária feminina Madre Pelletier em Porto Alegre, RS
Autor Cuozzo, Juliana Deprá
Orientador Victora, Ceres Gomes
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.
Assunto Narcóticos Anônimos (NA)
Penitenciária
Penitenciária Feminina Madre Pelletier
Porto Alegre (RS)
[en] "Message transmission" main speaker research
[en] "Recovery"
[en] Inmates
[en] Narcotics anonymous
[en] Panels
[en] Women's penitentiary
Resumo O objetivo deste estudo foi o de acompanhar os caminhos de um serviço em Hospitais e Instituições (HI) da Irmandade de Narcóticos Anônimos (NA) na cidade de Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul (RS), a partir, principalmente, de uma interlocutora principal de pesquisa, membro da NA, e de uma longa experiência de campo da pesquisadora. Trata-se do serviço de “transmissão da mensagem” que ocorre na Penitenciária Feminina Madre Pelletier, em que mulheres membros da NA se deslocam até a Penitenciária para “levar a mensagem de recuperação da Narcóticos Anônimos”, às reclusas. Esse serviço ocorre na Instituição Penitenciária sob o formato de painéis, nos quais estão presentes participantes da NA e mulheres reclusas. Nessas ocasiões, ocorre a “partilha” sobre a “recuperação”, e, para a sua realização, são necessários preparações, treinamentos e movimentações que envolvem tanto a Penitenciária quanto a Irmandade. Para acompanhar os caminhos da “transmissão da mensagem” realizei pesquisa de campo de orientação etnográfica na Irmandade de NA e na Penitenciária. Na Irmandade frequentei reuniões abertas de um grupo da Narcóticos Anônimos existente em Porto Alegre, reuniões de serviço do Subcomitê de Relações Públicas, celebrações e eventos de grupos, realizei entrevistas com homens e mulheres participantes da NA, e, em especial, com a interlocutora principal de pesquisa. Na Penitenciária acompanhei, no ano de 2015, encontros de painéis, realizei entrevistas com agentes penitenciárias, assistente social, e mantive conversas com funcionários da direção. Os resultados desse trabalho indicam que os “caminhos da transmissão da mensagem”, ao perpassarem o ambiente da Penitenciária e durante os painéis - ocasiões conjuntas com as reclusas e outras participantes da Irmandade -, adquirem um significado específico para a interlocutora de pesquisa em sua “recuperação”, pois mobilizam seu passado, presente, “ativa” e “recuperação”.
Abstract The objective of this study was to follow the paths of a service in Hospitals and Institutions (HI) of the Fellowship of Narcotics Anonymous (NA) in Porto Alegre, state of Rio Grande do Sul (RS), based mainly on a main speaker of research, member of the NA, and a long researcher's field experience. This is the service "message transmission" that occurs in the Women's Penitentiary Madre Pelletier, in which women members of NA moving to the Penitentiary to "carry the message of recovery in Narcotics Anonymous" the inmates. This service is the Penitentiary Institution under the panels format in which they are participants from NA and women prisoners. On these occasions, is "sharing" on the "recovery", and for its implementation, preparations are needed, training and transactions involving both Penitentiary as the Fellowship. To follow the path of "carrying the message" I conducted ethnographic orientation of field research in the NA Fellowship and Prison. Fellowship attended open meetings of an existing Narcotics Anonymous group in Porto Alegre, service meetings of the Subcommittee on Public Relations, celebrations and events groups, conducted interviews with participants men and women of NA, and in particular with the main interlocutor of research. In Penitentiary I followed, in 2015, panel meetings, conducted interviews with prison officers, social workers, and held talks with officials of direction. The results of this study indicate that the "message transmission paths", the permeates the environment of Penitentiary and during the panel - joint occasions with inmates and other participants of the Fellowship - acquire a specific meaning to the speaker of research in their "recovery" for mobilizing their past, present, "active" and "recovery".
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/142949
Arquivos Descrição Formato
000994784.pdf (1.529Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.