Repositório Digital

A- A A+

Do Canto da Gente (Os Tápes, 1971) ao Canto Politizado : memória e política na constituição de uma música popular do sul

.

Do Canto da Gente (Os Tápes, 1971) ao Canto Politizado : memória e política na constituição de uma música popular do sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Do Canto da Gente (Os Tápes, 1971) ao Canto Politizado : memória e política na constituição de uma música popular do sul
Autor Rosa, Daniel Stringini da
Orientador Braga, Reginaldo Gil
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Artes. Programa de Pós-Graduação em Música.
Assunto Etnomusicologia
Memória
Música popular : Rio Grande do Sul
Os Tápes
Política
[en] Ethnomusicology
[en] Memory and politics
[en] Popular music: RS
Resumo Este estudo etnomusicológico tem por objetivo examinar a constituição de uma música popular do sul do Brasil a partir da trajetória dos Tápes, grupo criado em uma cidade do interior do Rio Grande do Sul, e atuante no período entre o começo da década de 1970 e o final da década de 1980. Pretendo problematizar esse passado musical e suas reverberações em atuais músicos do Estado. Focalizando nas narrativas musicais e nos discursos sobre música, busco evidenciar a agência dos atores sociais e os significados atribuídos a esse fazer sonoro local como um espaço de negociações, e cuja noção de politização opera como um signo expressivo, delineado desde uma cultura de esquerda. Através das inserções em campo, das interlocuções com músicos do passado e do presente, do contato com acervos e gravações, pretendo discutir memória e política como duas dimensões emergentes nesses diálogos. Do Canto da Gente, projeto de disco e espetáculo dos Tápes, aos atuais cantos politizados, apontados por perspectivas insider, transversalizo passado/presente, e sugiro memória e política enquanto nexos, como proposto pelo etnomusicólogo Kwabena Nketia, indicados por esse fazer sonoro musical. A noção de música popular do sul remete ao projeto da Marcus Pereira Discos, na década de 1970, no Brasil, condicionante para o desdobramento da trajetória dos Tápes e demais continuadores de um modo de performatizar a música popular.
Abstract This ethnomusicological study aims to examine the constitution of a popular music in southern Brazil from the trajectory of Os Tápes, a group created in a country town of Rio Grande do Sul, and active in the period between the early 1970s and end of the 1980s. My research proposal is to problematize this musical past and its reverberations in current musicians from the state of Rio Grande do Sul. Focusing on the musical narratives and discourses about music, I seek to highlight the agency of social actors and the meanings attributed to this local musical practice as a space for negotiations, and whose notion of politicization operates as an expressive sign, outlined from a leftwing culture. Through field researches, dialogues with musicians from the past and present, and the contact with collections and recordings, I intend to discuss memory and politics as two emerging dimensions in these dialogues. From Canto da Gente, a disc project and a concert of Os Tápes, to the current politicized chants, pointed for an insider’s perspectives, I mainstream past/present, and suggest memory and politics while nexuses, as proposed by the ethnomusicologist Kwabena Nketia, indicated by this sound and musical practicing. The notion of popular southern music refers to Marcus Pereira Discos project in the 1970s, in Brazil, a conditioning factor for the unfolding of Os Tápes’ trajectory and other heirs of a way to performatize the popular music.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/143014
Arquivos Descrição Formato
000995860.pdf (3.871Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.