Repositório Digital

A- A A+

Albumina glicada : nova alternativa para o controle glicêmico no Diabetes Mellitus

.

Albumina glicada : nova alternativa para o controle glicêmico no Diabetes Mellitus

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Albumina glicada : nova alternativa para o controle glicêmico no Diabetes Mellitus
Autor Freitas, Priscila Aparecida Correa
Orientador Camargo, Joiza Lins
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Endocrinologia.
Assunto Albuminas
Diabetes mellitus
Frutosamina
[en] Fructosamine
[en] Glycated albumin
[en] Glycemic marker
Resumo O Diabetes Mellitus (DM) é uma doença metabólica que implica em altas incidências de mortalidade e morbidade. A hiperglicemia crônica é responsável pelo surgimento de inúmeras complicações em longo prazo nestes pacientes. Atualmente, é recomendado por diretrizes internacionais que pacientes com DM sejam monitorados e manejados em seu tratamento a partir dos níveis de hemoglobina glicada (A1C). A A1C é formada por reações não enzimáticas de glicação na hemoglobina, refletindo a glicemia dos últimos 120 dias. A A1C possui forte associação com os desfechos clínicos no DM e apresenta uma excelente padronização de seus métodos analíticos. Contudo, diversas situações clínicas podem interferir falsamente em seus níveis e prejudicar a interpretação de seus resultados, como em anemias (carenciais ou hemolíticas), hemoglobinopatias, gravidez, doença renal crônica, etc. Por outro lado, a albumina glicada (AG) é uma frutosamina formada por glicações na albumina e reflete uma glicemia média de cerca de 2 a 3 semanas. A AG não é influenciada pela concentração de outras proteínas no plasma e também não sofre interferência pelas condições que afetam a A1C. Este marcador tem sido fortemente avaliado como uma ferramenta alternativa para a A1C, a partir da análise de seus níveis por um novo método enzimático descrito em 2002. Estudos tem demonstrado uma forte associação entre estes dois marcadores e grande semelhança em predizer as complicações do DM. Entretanto, a AG se mostra melhor para avaliar flutuações nos níveis de glicose e a resposta ao tratamento terapêutico. Neste trabalho, foi avaliado o desempenho analítico de dois kits enzimáticos de AG e realizado uma comparação entre os métodos, encontrando excelentes resultados. Ainda, foi determinado o intervalo de referência para os níveis de AG em brasileiros saudáveis. A forte correlação encontrada entre AG e A1C demonstra que a AG pode ser um teste útil para o controle glicêmico no DM, principalmente quando a A1C não é recomendada.
Abstract Diabetes Mellitus is a metabolic disease with high incidence rates of mortality and morbidity. Chronic hyperglycemia is responsible for several long-term complications in these patients. Currently, international guidelines recommend that glycemic monitoring in DM should be performed by glycated hemoglobin (A1C) levels, to provide a correct clinical conduction. A1C is relative to non-enzymatic glycation reactions in hemoglobin and reflects the glucose levels from the last 120 days. It is well established the great association between A1C and clinical outcomes in DM, besides, its analytical methods present an excellent standardization. However, some conditions may influence and imply misinterpretation in A1C results, such as anemia, hemoglobinophaties, pregnancy, chronic renal disease, etc. On the other hand, glycated albumin (GA) is a fructosamine produced by glycation reactions in albumin and it reflects a mean glycemia at around 2 to 3 weeks. GA is not influenced by the concentrations of other plasma proteins, as well as by those conditions that interfere in A1C. GA has been strongly evaluated as an alternative marker to A1C, through its quantitative measurement by an enzymatic methodology described in 2002. Recent studies have demonstrated a high association between GA and A1C and a great similarity between these tests in predicting DM future complications. Nevertheless, GA has showed be better to assess the glucose fluctuations in blood and the response to treatment. This study evaluated the analytical performance of two GA enzymatic kits and also executed a methods comparison, and found excellent results. Also, we established the reference range for GA levels in healthy Brazilians. The high correlation found between GA and A1C indicates that GA could be a useful test for glycemic control in DM, especially when A1C is unreliable.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/143043
Arquivos Descrição Formato
000991750.pdf (205.1Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.