Repositório Digital

A- A A+

Modelos de previsão da brotação para videira na Serra Gaúcha

.

Modelos de previsão da brotação para videira na Serra Gaúcha

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Modelos de previsão da brotação para videira na Serra Gaúcha
Outro título Budburst prediction models to the grapevine in the gaúcha mountain range
Autor Felippeto, João
Orientador Bergonci, Joao Ito
Co-orientador Santos, Henrique Pessoa dos
Data 2008
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia.
Assunto Meteorologia : Agricultura
Resumo As fruteiras de clima temperado caracterizam-se pela queda de folhas em conseqüência da redução das suas atividades metabólicas em resposta aos efeitos climáticos da entrada no inverno, entrando em dormência no final do ciclo. Para iniciarem um novo ciclo vegetativo na primavera, é necessária a sua exposição a um período frio, para a superação da endodormência. Nos anos em que isto não ocorre é necessário o emprego de tratamentos químicos, os quais são tóxicos (Classe I). Portanto, o desenvolvimento de tecnologias que subsidiem o conhecimento antecipado dos eventos fenológicos, como é o caso dos modelos agrometeorológicos, podem dar suporte ao planejamento agrícola e à gestão dos recursos da propriedade. O objetivo deste trabalho foi o estudo de diferentes modelos matemáticos, para caracterizar as disponibilidades térmicas no período hibernal e prever a data inicial da brotação de duas cultivares de videira Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon e Chardonnay) e de uma cultivar Vitis labrusca (Concord). O trabalho foi realizado a partir de uma série histórica (1984-1993) de dados climáticos e de dados fenológicos do Banco Ativo de Germoplasma, ambos da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves-RS. Os acúmulos de frio foram quantificados através de 12 diferentes metodologias: horas de frio iguais ou inferiores a 7,2 e 10°C; modelo Dinâmico; modelos Utah e Carolina do Norte originais, além das modificações propostas por Ebert (1986), Raseira (1982) e de outras quatro derivações destes métodos. Com base nas informações de modelagem, foram feitas correlações com os períodos de brotação da série histórica, buscando uma validação para estes modelos nos ciclos 2006 e 2007, a partir de dados fenológicos obtidos nos campos experimentais da Embrapa Uva e Vinho. As estimativas mais adequadas para a previsão do início da brotação foram observadas na ‘Cabernet Sauvignon’. Os modelos de melhor desempenho no estudo da série histórica foram Utah e Carolina do Norte modificados para a Serra Gaúcha. No ciclo 2007, o modelo Dinâmico e, no ciclo 2006, em função da heterogeneidade dos resultados, não houve um modelo mais adequado.
Abstract The fruit trees of mild climate are characterized by the drop of the leaves due to the reduction of their metabolic activities in reply to the climatic effects in the beginning of winter, starting the dormancy at the end of the cycle. For these plants start a new vegetative cycle in spring, it is necessary their exposition to a certain period of low temperatures to break the endodormancy. During the years when it does not occur, it is needed the use of chemical treatments which are toxic (Level I). Therefore, the development of technologies that subsidize previous knowledge of phenological events, like agro meteorological models, can support the agricultural planning and the management of the resources in the property. The purpose of this work was the study of different mathematical models in order to define thermal availabilities in the hibernal period and predict the budburst beginning of two grapevine cultivars Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon and Chardonnay) and one cultivar Vitis Labrusca (Concord). The work was carried out based on a historical series (1984 – 1993) of climatic data, supplied by the meteorological station and phenological data from Grape Germplasm Repository, both from Embrapa Uva e Vinho, in Bento Gonçalves - RS. The chilling accumulations were quantified through twelve different methodologies: chilling hours equal or below 7,2ºC and 10°C; Dynamic Model, Utah and North Caroline original models, apart from modifications proposed by Ebert (1986), Raseira (1982) and other four derivations of these methods, proposed in this work. Based on the modelings information, correlations were done with the budburst periods of the historical series to validate these methods in the cycles 2006 and 2007, based on phenological data obtained in the experimental fields of Embrapa. The most appropriate estimates to predict the budburst beginning have been perceived in the “Cabernet Sauvignon”. The models of best performance in the historical series were Utah and North Caroline, modified to the Gaúcha Mountain Range. In the cycles 2007 and 2006, due to the heterogeneity of the results, there was not a best fit model.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/14312
Arquivos Descrição Formato
000658715.pdf (1.633Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.