Repositório Digital

A- A A+

Um terreno cheio de asperezas : o Cemitério da Matriz de Porto Alegre no cotidiano da cidade (1772-1888)

.

Um terreno cheio de asperezas : o Cemitério da Matriz de Porto Alegre no cotidiano da cidade (1772-1888)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Um terreno cheio de asperezas : o Cemitério da Matriz de Porto Alegre no cotidiano da cidade (1772-1888)
Autor Meirelles, Pedro von Mengden
Orientador Kühn, Fábio
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto Cemitério da Matriz (Porto Alegre, RS)
Cemiterios
História : Porto Alegre (RS)
História social
Igreja Matriz de Nossa Senhora Madre de Deus (Porto Alegre, RS)
Morte
Porto Alegre (RS)
Registro de óbito
[en] Death
[en] Death records
[en] Graveyard
[en] Social history
Resumo Este trabalho tem por objetivo compreender a dinâmica cotidiana desenvolvida no Cemitério da Matriz de Porto Alegre, entre os anos de 1772 e 1850. Defendo nesta dissertação o argumento de que é preciso levar em consideração a gênese e o funcionamento deste espaço para melhor estudar os primeiros anos desta cidade, pois vejo no cemitério um espaço privilegiado de análise do social, embora o mesmo não tenha sido tradicionalmente estudado em trabalhos de história local. Com base em uma ampla e exaustiva análise dos livros de óbito das freguesias que utilizavam aquele cemitério, acompanhei diariamente o uso do mesmo, possibilitando por a prova a aplicação ou não da legislação oriunda do Poder Central desejosa de uma maior regulamentação daquele espaço. No primeiro capítulo abordo duzentos anos de trabalhos e pesquisas históricas a respeito da fundação de Porto Alegre, salientando o caráter religioso dessa fundação. No segundo capítulo, calcado principalmente nos registros de óbito, analiso o cotidiano da principal necrópole da cidade, sua geografia tanatológica, e a distribuição da população em diferentes tipos de sepulturas. No terceiro capítulo, embasado pela bibliografia a respeito das mudanças de mentalidade quanto à morte e o morrer no Ocidente, analiso o descontentamento surgido em meados do século XVIII quanto aos cemitérios eclesiásticos, e seu impacto em Porto Alegre, em princípios do século seguinte. Por fim, em um quarto capítulo que abarca o período de 1865 a 2012, analiso os usos que o espaço no qual estivera o cemitério exerceu após o fechamento, e como os mesmos influíram na construção de uma memória daquele local. A partir desse percurso, pretendi demonstrar que é possível realizar a história social de dada comunidade mesmo a partir de um enfoque, a princípio, sem vida ou sociedade.
Abstract This paper aims to understand the daily dinamics developed in the Main Church Graveyard of Porto Alegre, between 1772 and 1850. In this dissertation I advocate that is necessary to understand the genesis and the operation of such place to better comprehend the first years of the city. The reason to such analysis stands in the comprehension of the graveyard as a privileged place to study society, although this point of view isn’t very common among social historians. Based on a wide and exhaustive analysis of the death records of all parishes that used the mentioned graveyard, I have followed the daily pratices in this place, allowing to demonstrate if the legislation deriving from the Crown was or was not applyed. In the first chapter I work with 200 years of researches about the creation of Porto Alegre, stressing the religious ethos of its fundation. In the second chapter, in which the death records will be the main source of analysis, I study the daily routine of Porto Alegre’s main graveyard, its thanatological geography, and the distribuition of the population in several types of graves. In the third chapter, based on the bibliography about the changes of mentality on death and dying in Western civilization, I analysed the emergence of discontent on ecclesiastical graveyards on the first half of XVIII century in Porto Alegre. To conclude, in a fourth chapter, which covers the gap between the years of 1865 and 2012, I analyse the secundary uses of the cemetery, after its shutdown, and how those help in the understanding the way its social memory was built. In this research I have intended to show that it is possible to write the social history of such comunity even through the use of sources that speak more of death than life.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/143120
Arquivos Descrição Formato
000994940.pdf (4.980Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.