Repositório Digital

A- A A+

O eu e o outro na terra da cocanha : o jogo da identidade italiana em solo gaúcho

.

O eu e o outro na terra da cocanha : o jogo da identidade italiana em solo gaúcho

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O eu e o outro na terra da cocanha : o jogo da identidade italiana em solo gaúcho
Autor Godoy, Ana Boff de
Orientador Bernd, Zilá
Data 2002
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Literatura brasileira
Resumo O presente estudo tem por objeto de análise dois romances do escritor gaúcho José Clemente Pozenato – A Cocanha (2000) e O Quatrilho (1985) – e por objetivo discutir sobre duas questões principais, quais sejam: i. a crença na utopia da Cocanha (país imaginário que funcionaria como uma espécie de paraíso terrestre para os imigrantes italianos) e a sua relação com a América; ii. o processo de identificação pelo qual passaram os italianos desde a sua saída da Itália até a sua chegada à terra prometida. Essas questões mostram-se bastante complexas através da teia ficcional criada pelo autor, que envolve a ficção propriamente dita, a história real e a história social do imaginário. Esses três elementos fundem-se de maneira a se estabelecer uma espécie de jogo. A idéia do jogo, aliás, está presente nos títulos mesmos das obras, estabelecendo um paralelismo entre elas que deixa claro o seu entre-cruzamento e suscitam uma série de relações. Por preencher os espaços vazios da história, da memória e da literatura, por mesclar a história da imigração italiana e a história do imaginário à ficção em língua portuguesa, acredita-se serem A Cocanha e O Quatrilho as obras inaugurais da vertente literária da imigração italiana no Rio Grande do Sul.
Riassunto Il presente lavoro ha come oggetto di analisi due romanzi dello scrittore gaúcho José Clemente Pozenato – A Cocanha (2000) e O Quatrilho (1985) – e come obiettivo discutere su due punti principali, quali siano: i. la credenza nell’utopia della Cuccagna (paese immaginario che funzionerebbe come una sorta di paradiso terrestre per gli immigranti italiani) e la sua relazione coll’America; ii. il processo di identificazione per il quale passarono gli italiani dalla loro uscita di Italia fino al loro arrivo alla terra promessa. Tali questioni si mostrano molto complesse attraverso la tela narrativa creata dall’autore, la quale coinvolge la finzione propriamente detta, la storia reale e la storia sociale dell’immaginario. Questi tre elementi si fondono di maniera che si stabilisca una sorta di gioco. L’idea del gioco, tra l’altro, è presente nei titoli stessi delle opere, costituendo un parallelismo tra esse che rende chiaro l’incrocio fra di loro e che sucita un elenco di relazioni. Per riempire gli spazi vuoti della storia, della memmoria e della letteratura, per mescolare la storia dell’immigrazione italiana e la storia dell’immaginario alla finzione scritta in lingua portoghesa, si fa possibile credere che A Cocanha e O Quatrilho siano le opere inaugurali della vertente letteraria dell’immigrazione italiana nel Rio Grande do Sul.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/143232
Arquivos Descrição Formato
000342429.pdf (726.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.