Repositório Digital

A- A A+

Gordura epicárdica mensurada por ecocardiografia : distribuição e associação com síndrome metabólica, diabetes mellitus e hipertensão

.

Gordura epicárdica mensurada por ecocardiografia : distribuição e associação com síndrome metabólica, diabetes mellitus e hipertensão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Gordura epicárdica mensurada por ecocardiografia : distribuição e associação com síndrome metabólica, diabetes mellitus e hipertensão
Autor Bertol, Daniela
Orientador Duncan, Bruce Bartholow
Co-orientador Foppa, Murilo
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Diabetes mellitus
Gordura subcutânea
Hipertensão
Pericárdio
Síndrome X metabólica
Tecido adiposo
Resumo Introdução: Gordura epicárdica (GE) é um depósito de gordura visceral, cuja medida obtida por ecocardiografia vem sendo proposta como um exame para identificar indivíduos de alto risco de desenvolver doença cardiometabólica. Vários estudos, em geral em amostras com critérios de seleção e tamanho restritos, relataram associações, frequentemente grandes, de GE com diversos fatores de risco cardiovasculares. Objetivo: Descrever a distribuição de GE determinada por ecocardiografia e caracterizar sua associação com desfechos cardiometabólicos. Método: Estudo transversal em 991 participantes selecionados aleatoriamente do estudo ELSA-Brasil, uma coorte brasileira de servidores públicos, com idade entre 35 e 74 anos. Medimos espessura da GE (expressa como média das mensurações nas janelas paraesternal longitudinal e transversal), no final da sístole e da diástole; e determinamos síndrome metabólica (SM), hipertensão e diabetes mellitus a partir de dados e exames clínicos e laboratoriais. Resultados: A mediana (intervalo interquartílico) da espessura da GE foi 1,35(0- 2,33)mm e 0(0-0)mm respectivamente, na sístole e na diástole. GE foi mais frequentemente presente em mulheres, menos comum para cor de pele preta e aumentou com a idade e a obesidade (p<0,01). Idade apresentou a maior correlação com GE sistólica (r=0,38; p<0,001) e diastólica (r=0,33; p<0,001). Gordura epicárdica no quartil superior (2,63mm na sístole e > 0mm na GE diástole) demonstrou associações com SM (RP=1,28; IC95%: 1,01-1,63 para a medida diastólica) e com hipertensão (RP=1,28; IC95%: 1,08-1,51; e RP=1,34; IC95%: 1,14-1,57, para medidas sistólica e diastólica, respectivamente) ajustando para idade, sexo e cor de pele. Não houve associação com diabetes. 11 Conclusão: A presença de GE foi menor e menos frequente nesta amostra de uma coorte ocupacional do que geralmente relatado na literatura. Suas associações com hipertensão e síndrome metabólica, também foram menores do que as descritas em estudos com amostras restritas a indivíduos com maior risco cardiometabólico. Nossos dados sugerem que a medida da GE por ecocardiografia é de utilidade incerta para estratificação de risco cardiovascular em pacientes em geral.
Abstract Background: Epicardial fat (EF) is a visceral fat depot for which measurements obtained by echocardiography have been proposed to identify individuals at high risk to develop cardiometabolic disease. Several studies, in general in samples with restricted selection criteria and size, report associations, often large, between EF and diverse cardiovascular risk factors. Objective: To describe the distribution of echocardiographically determined EF and its association with cardiometabolic outcomes. Methods: Cross-sectional study in 991 randomly selected participants of the ELSABrasil study, a cohort of public sector employees aged between 35 and 74 years. We measured epicardial fat thickness (expressed as the average of parasternal long- and short-axis view determinations) during end systole and end diastole, and ascertained the presence of the metabolic syndrome (MS), hypertension and diabetes mellitus based on clinical and laboratory examinations. Median (interquartile range) GE thickness was 1.35(0-2.33)mm and 0(0-0)mm for systolic and diastolic measures, respectively. Detectable EF thickness in was more prevalent in women, less common in black skin color and increased with age and obesity (all with P<0.01). Age had the highest correlation with systolic (ρ=0.38; p<0.001) and diastolic (ρ=0.33; p<0.001) EF. Upper quartile (2,63mm in systole and >0mm in diastole) epicardial fat showed small associations with the metabolic syndrome (PR=1.28; 95%CI 1.01-1.63 for the diastolic measure) and with hypertension (PR=1.28; 95%CI: 1.08-1.51; and PR=1.34; 95%CI: 1.14-1.57, for systolic and diastolic measures, respectively) adjusting for age, sex and skin color. There was no association with diabetes. Conclusion: EF was much less frequent and, when present, in much smaller quantity than reported in previous accounts based on selected samples. Its associations with hypertension and the metabolic syndrome, were also smaller than those described in samples restricted to those with greater cardiometabolic risk. Our data suggest that GE measured by echocardiography is unclear utility in the stratification of cardiovascular risk of general patient.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/143421
Arquivos Descrição Formato
000851120.pdf (728.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.