Repositório Digital

A- A A+

Comparação do efeito de três intervenções não medicamentosas sobre a evolução clínica e metabólica de crianças com excesso de peso : atenção em um ambulatório de obesidade infantil vs. atividade física dirigida vs. dieta ajustada por calorimetria

.

Comparação do efeito de três intervenções não medicamentosas sobre a evolução clínica e metabólica de crianças com excesso de peso : atenção em um ambulatório de obesidade infantil vs. atividade física dirigida vs. dieta ajustada por calorimetria

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Comparação do efeito de três intervenções não medicamentosas sobre a evolução clínica e metabólica de crianças com excesso de peso : atenção em um ambulatório de obesidade infantil vs. atividade física dirigida vs. dieta ajustada por calorimetria
Autor Gazal, Claudia Hallal Alves
Orientador Mello, Elza Daniel de
Data 2013
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente.
Assunto Adolescente
Criança
Obesidade : Prevenção e controle
[en] Adolescents
[en] Body composition
[en] Children
[en] Diet
[en] Indirect calorimetry
[en] Obesity
Resumo Introdução: A prevalência da obesidade infanto juvenil tem aumentado, sendo importante que mais profissionais estejam habilitados para o manejo. Objetivo: Comparar o efeito, após 12 meses, de três intervenções: programa de atividade física (AF), manejo dietoterápico (D) e atendimento ambulatório de referência em um hospital terciário (AMO) sobre o índice de massa corporal (IMC), composição corporal, taxa metabólica (TMB) e perfil metabólico de crianças e adolescentes com obesidade. Procedimentos Metodológicos: Ensaio clínico randomizado em 82 sujeitos de 8 a 15 anos, com obesidade. No grupo D, recebia dieta ajustada a partir da TMB por calorimetria indireta; no grupo AF, educador físico orientava prática de AF no domicílio e, no grupo AMO, orientações para introdução e manutenção de hábitos saudáveis. O acompanhamento foi mensal e os dados antropométricos, composição corporal, taxa metabólica basal e exames laboratoriais foram determinados no início, aos 6 e 12 meses de seguimento. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do HCPA número 10-0011 e registrado www.clinicaltrials.gov NCT012973774. Resultados: Foram avaliados 82 sujeitos. A diferença (percentual) entre os grupos AF, D e AMO, respectivamente, foi de: escore Z do IMC -7,1% (-10,8 a -3,3), -5,0% (-8,4 a -1,5) e –15,2%(- 19,5 a -10,9); p=0,001; Peso (Kg) massa gorda 9,2% (4,3 a 14,2), 10,4% (4,8 a 15,9) e 4,3% (-1,7 a 10,4), p=0,248; Peso(Kg) massa livre de gordura 10,5%(7,5 a 13,4), 7,0% (4,1 a 10,0) e 6,7% (2,8 a 10,7) p=0,203; TMB 50,3%(2,2 a 232), 31,6%(-23,7 a 147), 38,6%(-17,3 a 232), p=0,669. As alterações laboratoriais mais frequentes no início do estudo nos grupos AMO, AF e D foram, respectivamente, valor HDL baixo (82,1%, 77,8%, 63%), insulina jejum 15 μUI/mL (71,4%, 81,5% e 66,7%) e homeostasis model assessment insulin resistence índex alterado (67,9%, 81,5%, 63%). O diagnóstico de síndrome metabólica (SM) foi feito em 20% das crianças obesas. No grupo AMO houve redução maior significativa do escore Z do IMC, da circunferência da cintura (CC), aumento do valor do HDL, redução da insulina de jejum e do HOMA-IR, redução da pressão sistólica e no número de componentes da SM. No grupo AF houve uma redução maior no colesterol total, no valor do LDL e dos triglicerídeos (TG). O grupo D também mostrou melhora no escore Z do IMC, redução do valor do colesterol total (CT), do LDL e dos TG. Apesar da redução dos indivíduos com diagnóstico de síndrome metabólica no grupo AMO (de 7 para 2) e AF (de 4 para 1) não houve diferença significativa quando comparados os 3 grupos. Conclusões: As três intervenções foram efetivas no tratamento da obesidade de crianças e adolescentes. Este estudo comprova a necessidade de estratégias combinadas e a longo prazo no manejo da obesidade na criança e adolescente para reduzir as alterações cardio metabólicas presentes nesta população e evitar a progressão dos fatores de risco para doenças cardiovasculares, metabólicas e morte prematura. Portanto, estas 3 estratégias podem ser utilizadas no manejo da obesidade infanto juvenil.
Abstract Background: The prevalence of paediatric obesity has increased in recent years, and health care workers must be trained to treat these conditions. Objective: To compare the effect of three year-long interventions: physical activity (PA) programme, dietary intervention (D) and treatment in an outpatient obesity clinic (OOC), on the body mass index (BMI), body composition, basal metabolic rate (BMR) and biochemical measurements of children and adolescents with obesity. Methodological Procedures: Randomized clinical trial of 82 participants aged between 8 and 15, diagnosed with obesity. Participants in the PA group received individualised home-based physical activity programmes from a physical education teacher. In the D group, participants received dietary counselling based on BMRs as measured by indirect calorimetry. In the OOC group, participants were given instructions on how to adopt and maintain healthy lifestyle habits. Participants had monthly appointments with physical educators, nutritionists or health care workers, depending on participant group. Anthropometric data, body composition, BMR and biochemical measurements were assessed at baseline, and after 6 and 12 months of treatment. Project approved by Comitê de Ética e Pesquisa do HCPA número 10-0011 and registred www.clinicaltrials.gov NCT012973774. Results: Differences between the PA, D and OOC groups over the course of the study were as follows: BMI Z score -7.1% (-10.8 to -3.3), -5.0% (-8.4 to -1.5) and –15.2%(-19.5 to -10.9); p=0.001; Fat mass (Kg) 9,2% (4,3 a 14,2), 10,4% (4,8 a 15,9) and 4,3% (-1,7 a 10,4), p=0,248; Fat-free mass weight(Kg) 10.5%(7.5 to 13.4), 7.0% (4.1 to 10.0) and 6.7% (2.8 to 10.7) p=0.203; BMR 50.3%(2.2 to 232), 31.6%(-23.7 to 147), 38.6%(-17.3 to 232), p=0.669. The most frequent laboratory anormalities at baseline in groups OOC, PA and D were, respectively, value low HDL (82.1%, 77.8%, 63%), fasting insulin 15 μUI / mL (71.4% , 81.5% and 66.7%) and high homeostasis model assessment insulin resistence index (67.9%, 81.5%, 63%). The diagnosis of metabolic syndrome was made in 20% of obese children. OOC group was significantly greater reduction in BMI Z score, waist circumference, total cholesterol, increasing the value of HDL, reduced fasting insulin and HOMA-IR, systolic blood pressure reduction and the number of metabolic syndrome components. In the PA group, there was a greater reduction in total cholesterol in the amount of LDL and TG. Group D also showed improvement in BMI Z score, reducing the value of total cholesterol, LDL and TG. Despite the reduction of individuals diagnosed with metabolic syndrome in the group OOC (7 to 2) and PA (4 to 1) no significant difference when comparing the three groups. Conclusions: All three interventions led to a reduction in BMI Z score, and increased fat free mass, BMR and biochemical measurements over the course of a year. This study demonstrates the need for combined strategies and long-term management of obesity in children and adolescents to reduce cardio metabolic changes present in this population and prevent the progression of risk factors for cardiovascular and metabolic diseases and premature death. Therefore, all three interventions are suitable treatments for paediatric obesity.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/143562
Arquivos Descrição Formato
000901467.pdf (1.323Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.