Repositório Digital

A- A A+

Prevalência do consumo de leite e derivados em gestantes e fatores associados

.

Prevalência do consumo de leite e derivados em gestantes e fatores associados

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Prevalência do consumo de leite e derivados em gestantes e fatores associados
Autor Reichler, Franciane Mazzotti
Orientador Drehmer, Michele
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Consumo de alimentos
Gravidez
Laticinios
[en] Consumption
[en] Dairy
[en] Pregnancy
Resumo O consumo de leite e seus derivados é importante para manutenção da saúde. Durante a gestação, as necessidades energéticas e nutricionais encontram-se aumentadas, incluindo as demandas de cálcio e vitamina D.Por isso, é importante verificar o consumo desta população.O objetivo deste estudo é avaliar o consumo de leite e derivados em gestantes de duas cidades do sul do Brasil. Trata-se de um estudo transversal, realizado em Porto alegre e Bento Gonçalves, com gestantes que realizaram o pré-natal na atenção primária à saúde.Foi aplicado questionário estruturado eo consumo alimentar foi avaliado através de questionário de frequência alimentar semi-quantitativo. Para descrição dos dados, foram utilizadas média e desvio padrão ou mediana e intervalo interquartil para variáveis contínuas e frequências absolutas e relativas para variáveis categóricas. O consumo de laticínios foi descrito por cidade.Características demográficas, socioeconômicas e do consumo alimentar categóricas foram comparadas, através do teste qui-quadrado, com porções ao dia consumidas de laticínios. Teste t de Student foi utilizado para comparar médias. Foi considerado um valor p menor do que 0,05 para significância estatística.Foram avaliadas 535 mulheres, sendo que 50,7% tinha idade entre 20 e 29 anos, 50,7% tinha renda entre 1 e 3 salários mínimos e 48,2% tinham entre 5 e 8 anos de estudo. A maioria das entrevistadas morava com o companheiro (56,8%). A média do índice de massa corporal no momento da entrevista foi de 27,34 kg/m2e desvio padrão de ± 4,54 e idade gestacional de 24,5 semanas com desvio padrão de ± 5,85. Mais da metade (57,6%) não havia recebido nenhuma orientação nutricional. Dentre aquelas que haviam recebido orientação, 59,5% receberam durante a gestação. A média do consumo diário de laticínios foi de 3 porções ao dia. O leite integral foi o laticínio mais consumido (1,17 porção/dia). Foi encontrada maior média de idade nos estratos de maior consumo de laticínios. Quanto maior o consumo de laticínios maior era a média de escolaridade e renda. A maior frequência de mulheres que receberam orientação nutricional foram encontradas nos estratos mais elevados de consumo de laticínios.Foi observado que conforme aumenta o número de porções de laticínios consumidos ao dia, os valores médios de calorias, macro e micronutrientes e das quantidades consumidas de frutas, vegetais e produtos ultraprocessados aumentam também.Conclui-se que o consumo de laticínios pelas gestantes atinge, em média, as quantidades preconizadas pelo guia alimentar. Considerando todos os benefícios do consumo de laticínios ao longo da vida, em especial durante a gravidez, esforços maiores devem ser feitos para que um número maior de mulheres tenha acesso à informação e ao consumo de quantidades adequadas destes alimentos.
Abstract The consumption of dairy food is important to maintain health. During pregnancy, both energetic and nutritional needs are increased, including calcium and vitamin D requirements. It is important to verify dairy intake, especially in this population. The aim of this study is to evaluate the consumption of milk and dairy products among pregnant woman in two cities in South Brazil. It is a cross-sectional study, hold in Porto Alegre and Bento Gonçalves, including pregnant women who underwent prenatal care in primary health care. It was applied a structured questionnaire and food consumption was assessed by a semi-quantitative food frequency questionnaire. We used mean and standard deviation or median and interquartile range for continuous variables and absolute and relative frequencies for categorical variables to describe data. Dairy intake was described by city. Demographic, socioeconomic and categorical food consumption characteristics were compared with servings per day of dairy, using chi-square test. Student t test was used to compare means. It was considered a p value under 0.05 for statistical significance. We evaluated 535 women, and 50.7% had age between 20 and 29 years, 50.7% had family income between 1 and 3 minimum wages and 48.2% had between 5 and 8 years of study. Most of the respondents lived with a partner (56.8%). Body mass index average, in the interview, was 27.34 Kg/m² and standard deviation ± 4.54 and gestational age was 24.5 weeks with standard deviation of ± 5,85. More than half (57.6%) have not received any nutritional counseling. Those who had received nutritional counseling, 59.5% received it during pregnancy. The average daily consumption of dairy products was 3 portions a day. Whole milk was the dairy product most consumed (1.17 serving/ day). It was found higher mean age in the quartiles of higher consumption of dairy products. In the higher consumption of dairy products, we found the highest average of education level and family income. Higher frequency of women who had received nutritional counseling was found in higher strata of dairy intake. Consumption did not vary according to pre-gestational BMI. The mean values of calories, macro and micronutrients and amount consumed of fruits, vegetables and ultra-processed products increased the same way as the number of dairy portions consumed per day. We concluded that the consumption of dairy products by pregnant women is on average similar to the consumption by the general population and reaches the amount recommended by the guidelines, and it is associated with income, schooling and nutritional counseling. Considering all the benefits by dairy intake along life, especially during pregnancy, more effort should be made so that a greater number of women have access to information and consumption of adequate amounts of these foods.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/143702
Arquivos Descrição Formato
000997860.pdf (1.177Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.