Repositório Digital

A- A A+

Variáveis socioeconômicas e maternas e estado nutricional de crianças atendidas em uma unidade básica de saúde de Porto Alegre, RS

.

Variáveis socioeconômicas e maternas e estado nutricional de crianças atendidas em uma unidade básica de saúde de Porto Alegre, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Variáveis socioeconômicas e maternas e estado nutricional de crianças atendidas em uma unidade básica de saúde de Porto Alegre, RS
Autor Rodrigues, Samanta Souza
Orientador Schuch, Ilaine
Co-orientador Sparrenberger, Karen
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Centros de saúde
Criança
Estado nutricional
Resumo Introdução: A prevalência mundial de excesso de peso infantil, segundo a OMS é de 43 milhões de crianças, sendo aproximadamente 31 milhões em países em desenvolvimento e 8 milhões em países desenvolvidos. No Brasil é observada uma prevalência de 34,8% de excesso de peso infantil, sendo maior nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Objetivo: Descrever o estado nutricional de uma amostra de crianças pertencentes à área de abrangência de uma Unidade Básica de Saúde de Porto Alegre-RS e possíveis associações com variáveis socioeconômicas e maternas. Metodologia: Estudo transversal com utilização dos dados da pesquisa intitulada “Obesidade e fatores de risco para doenças crônicas em crianças atendidas na Estratégia Saúde da Família em uma Unidade Básica de Saúde de Porto Alegre, RS”. Resultados: A amostra de 179 crianças e mães, com proporções semelhantes do sexo (51,4% eram do sexo feminino), com idade média das crianças de 5,7 anos e das mães 34,4 anos. Em relação ao estado nutricional das crianças, aproximadamente 34% das crianças apresentaram com excesso de peso (sobrepeso/obesidade). As famílias de classes econômicas B1, B2 e C1 foram as mais predominantes da amostra. Em relação a escolaridade materna, mais da metade (55,4%) apresentaram ensino médio completo. Quanto a saúde materna no período gestacional, foi encontrado uma ganho de peso acima de 11,5 kg em 65,4% das mães e 40% apresentaram hipertensão arterial durante a gestação. Não houve associação significativa com o estado nutricional das crianças e as variáveis socioeconômicas e da saúde materna. Conclusão: No presente estudo observou-se alta prevalência de excesso de peso nas crianças estudadas maior nível de escolaridade entre mães. Em relação a saúde materna, alta prevalência de ganho de peso acima do recomendado durante o período gestacional e alta prevalência de problemas durante a gestação. E a partir desses resultados tornam-se relevantes intervenções e atenção na saúde das mães no período gestacional e na saúde das crianças.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/143732
Arquivos Descrição Formato
000997880.pdf (418.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.