Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da geração de resíduos de embalagens em um serviço de nutrição e dietética hospitalar público

.

Avaliação da geração de resíduos de embalagens em um serviço de nutrição e dietética hospitalar público

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da geração de resíduos de embalagens em um serviço de nutrição e dietética hospitalar público
Autor Santos, Aline Veiga dos
Orientador Strasburg, Virgílio José
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Embalagem de alimentos
Resíduos
Serviços de alimentação
Resumo As Unidades de Alimentação e Nutrição (UANs), ao transformar matérias-primas em refeições, originam diversos tipos de resíduos, incluindo embalagens de alimentos. Essas são constituídas, muitas vezes, de materiais não biodegradáveis. Os resíduos, quando gerenciados inadequadamente, causam danos ao meio ambiente. A Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que instituiu no Brasil a Política Nacional de Resíduos Sólidos, estabelece uma ordem de prioridades no manejo de resíduos: 1) não geração; 2) redução; 3) reutilização; 4) reciclagem; 5) tratamento; e 6) disposição final adequada dos resíduos que esgotarem todas as possibilidades de tratamento e recuperação, denominados rejeitos. Para que o correto gerenciamento dos resíduos seja possível, é necessário que se conheçam suas características e os fatores envolvidos em sua geração. Este estudo retrospectivo objetivou avaliar a quantidade e as características dos resíduos de embalagens na produção de refeições principais (almoço e jantar) no Serviço de Nutrição e Dietética (SND) de um hospital público de Porto Alegre, RS. O SND oferece refeições para funcionários, para pacientes e seus acompanhantes, e para os alunos da creche que atende aos filhos dos funcionários. O número médio estimado de refeições principais produzidas por dia, segundo informações coletadas no local, é de 4.657. Com base em dados coletados no software do hospital, foram selecionados os alimentos que somaram 90% do consumo dos itens de cardápio nos meses de março a junho de 2015 (totalizando 49 alimentos). Foi realizada a pesagem de cinco amostras de embalagens de cada alimento, e de cada fardo caso houvesse. Através de cálculos realizados no software Microsoft® Excel 2010, constatou-se que o total de resíduos gerados foi de 2.710,6kg. Considerando o total de dias do período estudado (122), a média diária de resíduos foi de 22,2kg e o per capita de resíduos por refeição foi de 5g. Em relação aos resíduos recicláveis do hospital como um todo, o valor encontrado neste estudo representa 1,85%. De todos os resíduos, 56% foram compostos por plásticos, 27% por metal e 17% por papelão/papel. A geração de resíduos de acordo com os grupos de alimentos foi, sequencialmente: itens complementares (46%), seguido por bebidas (18%), saladas (11%), guarnições (8%), carnes (7%), acompanhamentos (6%) e sobremesas (4%). Compete ao nutricionista na UAN adotar estratégias que visem a minimização da produção de resíduos. Ao diminuir-se a utilização de produtos que geram muitos resíduos e reconsiderar-se a oferta daqueles que não acrescentam valor nutricional às refeições, os impactos ambientais podem ser reduzidos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/143753
Arquivos Descrição Formato
000997818.pdf (554.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.