Repositório Digital

A- A A+

Estabelecimento de relações evolutivas do grupo willistoni de Drosophila (Diptera, Drosophilidae) por meio de morfologia e marcadores moleculares combinados

.

Estabelecimento de relações evolutivas do grupo willistoni de Drosophila (Diptera, Drosophilidae) por meio de morfologia e marcadores moleculares combinados

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estabelecimento de relações evolutivas do grupo willistoni de Drosophila (Diptera, Drosophilidae) por meio de morfologia e marcadores moleculares combinados
Autor Zanini, Rebeca
Orientador Gaiesky, Vera Lucia da Silva Valente
Co-orientador Deprá, Maríndia
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Drosophila
Marcadores moleculares
Morfologia
Resumo O grupo willistoni de Drosophila tem origem e distribuição essencialmente Neotropical. A primeira descrição de espécies desse grupo data do final do século 19, sendo a mais recente nova espécie adicionada ao grupo em 2013. Dessa forma, apesar de uma longa trajetória de estudos, muito ainda precisa ser acrescentado acerca da diversidade e evolução das espécies desse grupo, que é o principal objetivo da presente Tese. Assim, revisamos os registros de distribuição geográfica das espécies dos subgrupos willistoni, bocainensis e alagitans, e reforçamos a D. willistoni como a de distribuição mais ampla do grupo. As lacunas quanto à distribuição das espécies do grupo, parecem ser devidas mais a escassez de estudos do que à ausência de espécies. A caracterização ultraestrutural dos estágios pré-adultos de espécies do grupo willistoni, mostrou que, com exceção da forma dos filamentos respiratórios dos ovos, que são variáveis, todas as outras estruturas apresentam-se de forma similar, tanto dentro quanto entre as espécies analisadas. Quanto à análise de estruturas morfológicas dos adultos das espécies crípticas do subgrupo willistoni, foram observadas diferenças essencialmente na genitália masculina. Essas diferenças permitem a diferenciação ou identificação de espécies, até mesmo daquelas entidades pertencentes ao cluster da D. paulistorum. As nossas análises filogenéticas combinando marcadores morfológicos e moleculares, sugerem a origem evolutiva do subgrupo no Mioceno, a partir da espécie D. insularis. D. paulistorum começou a divergir há cerca um milhão de anos, e parece estar ainda em processo de especiação. Tal sugestão tem respaldo na similaridade aqui observada com diferentes marcadores dentro do grande conjunto de espécies, incluindo as espécies incipientes da D. paulistorum.
Abstract The willistoni group of Drosophila has a distribution that is essentially Neotropical, as is its origin. The first species description of this group dates from the later 19th century, with the latest dating from 2013. Thus, even after many studies, a lot of information is still lacking about the diversity and evolution of the species in this group, a situation this work aims to improve. With that said, we revised the geographical distribution records for the species in the subgroups willistoni, bocainensis and alagitans, and reaffirmed D. willistoni as the one with the widest distribution within this group. Gaps in the distribution information, seems to be more due to lack of research than due to a lack of species. The ultrastructural characterization of the pre-adult stages of the willistoni group showed that, with the exception of the shape of the egg’s respiratory filaments, which are variable, all other structures have a similar shape, either within or between the analyzed species. As for the the analisys of morphological structures in adults of the cryptic species in the subgroup wlillistoni, the differences were limited to the male genitalia. Those differences allowed us to differentiate or identify species, even those belonging to the D. paulistorum cluster. Our phylogenetic analyses, combining both morphologic and molecular markers, suggest an origin during the Miocene, from D. insularis. D. paulistorum started diverging around 1Mya, and it seems to be an ongoing process. This suggestion is backed by the similarities hereby observed with different markers within a big group of species, including the early D. paulistorum species.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/143881
Arquivos Descrição Formato
000990338.pdf (5.728Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.