Repositório Digital

A- A A+

Diminuição da aversividade mediante apresentação de estímulo distrator durante a reativação da memória

.

Diminuição da aversividade mediante apresentação de estímulo distrator durante a reativação da memória

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Diminuição da aversividade mediante apresentação de estímulo distrator durante a reativação da memória
Autor Crestani, Ana Paula
Orientador Quillfeldt, Jorge Alberto
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Neurociências.
Assunto Dessensibilização e reprocessamento através dos movimentos oculares
Medo
Memória
Psicoterapia
Sistema nervoso
Resumo Uma memória previamente consolidada pode novamente tornar-se lábil através da reativação (desestabilização), necessitando da reconsolidação para se restabilizar e persistir. Quando a memória se encontra no estado lábil ela é suscetível a interferências ou modificações. Portanto, a reconsolidação abre a possibilidade de alterar memórias de medo indesejáveis. Neste trabalho, foi utilizado um novo desenho experimental, onde os animais condicionados a um contexto aversivo eram distraídos, com um sopro suave de ar, quando apresentavam respostas de medo durante a reexposição ao contexto condicionado. Foi observado que um estímulo distrator apresentado durante o estado lábil da memória é capaz de diminuir a aversividade da mesma. A atenuação da memória aversiva foi duradoura já que os animais não demonstraram retorno do medo em teste realizados até 20 dias após o treino. Além disso, foi demonstrado que o estímulo distrator só é efetivo se a memória for previamente desestabilizada. Quando a desestabilização não ocorre, seja devido da exposição a um contexto novo ou ao bloqueio farmacológico da desestabilização, o estímulo distrator não é efetivo em reduzir a memória aversiva. Adicionalmente, foi demonstrado que quando o estímulo distrator é apresentado no período de consolidação, a memória também é prejudicada. Juntos, esses resultados demonstram que a reexposição sob distração pode ser uma estratégia não-farmacológica eficaz no tratamento de memórias aversivas.
Abstract Memories when reactivated enter a transient, labile state, which is follow by a re-stabilization process termed reconsolidation. During labile state memories are sensitive to interferences. Thus, reconsolidation provides an opportunity to change an unwanted fear memory. In this study, we describe a novel behavioral design in which contextual fear conditioned animals was distract, with a soft air puff, when expressed freezing response during memory reactivation. Our results showed that distractor stimulus was able to disrupted fear memory when presented during labile state and this disruption was lasting to 20 days after training. Furthermore, was demonstrated that distractor stimulus effectiveness is dependent of memory destabilization. If animals are expose in a novel context or destabilization are pharmacological blocked the distractor stimulus not is effective. Additionally, memory consolidation was disrupted by distraction. Taken together, these results showed that distraction disrupted memory reconsolidation been an effective non pharmacologic strategy to impair fear memories.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/144051
Arquivos Descrição Formato
000933180.pdf (830.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.