Repositório Digital

A- A A+

Dissenso e partilha no cinema contemporâneo: encontros com o filme “Doméstica”, de Gabriel Mascaro

.

Dissenso e partilha no cinema contemporâneo: encontros com o filme “Doméstica”, de Gabriel Mascaro

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Dissenso e partilha no cinema contemporâneo: encontros com o filme “Doméstica”, de Gabriel Mascaro
Autor Bernardi, Álvaro
Orientador Silva, Alexandre Rocha da
Co-orientador Diniz, Felipe Maciel Xavier
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Curso de Comunicação Social: Habilitação em Relações Públicas.
Assunto Estética
Filme documentário
Política
[en] Aesthetics
[en] Communication
[en] Distribution of the sensible
[en] Documentary cinema
Resumo A pesquisa Dissenso e partilha no cinema contemporâneo: encontros com o filme “Doméstica”, de Gabriel Mascaro, está dividida em quatro partes. Em um primeiro momento, revisamos as principais linhas de força do pensamento estético e político do filosofo Jacques Rancière. Num segundo momento, apresentamos um percurso histórico dos regimes de identificação das artes, a fim de compreender a constituição do atual regime estético das artes, bem como suas implicações para a relação entre arte e política. Num terceiro momento, destacamos alguns elementos do filme O Homem com uma Câmera (1929), de Dziga Vertov, que viria a se tornar uma referência para os documentaristas contemporâneos. Na sequência, situamos alguns autores do campo da comunicação que vêm discutindo hoje os aspectos estéticos e políticos do cinema documentário, e propomos pensar a política no documentário, a partir da dimensão da organização formal dos filmes. Por fim, no último capítulo, a partir das noções de partilha do sensível e dissenso, analisamos os componentes estéticos do filme “Doméstica”, de Gabriel Mascaro, a fim de compreender como esse filme têm operado os agenciamentos estéticos e políticos. Dessa forma, entendemos que o cinema documentário é político, quando produz – material e simbolicamente – uma reconfiguração da partilha do sensível.
Abstract The search, Dissent and Distribution of the Sensible in contemporary cinema: encounters with the film “Doméstic”, by Gabriel Mascaro, are divided into four parts. As a first approach, we review the main topics in Jacques Rancière aesthetical and political thought. As a second point, we introduce a historical course around art`s identification issue, in order to comprehend the aesthetical art issue in its current constitution, as well as its involvements with arts and politics relations. As a third moment we focus in some elements and discussions around O homem com uma câmera (1929), by Dziga Vertov, who became a central reference for contemporaneous documentary filmmakers. Then we refer to some authors in the communication studies who discusses nowadays the aesthetical and political aspects of documentary, as well as we propose to relate the documentary`s politics to the film`s formal aspects. Finally, we analyze a film that compose our corpus, based on the concepts previously reviewed, as an approach to these film operation into aesthetical and political agencies. That way, we find out the documentary cinema is political in fact, when it develops - material and symbolically - a reconfiguration of the sensible distribution.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/147089
Arquivos Descrição Formato
000999035.pdf (6.430Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.