Repositório Digital

A- A A+

Prevalência e fatores associados à consulta médica entre adultos de uma comunidade de baixa renda do Sul do Brasil

.

Prevalência e fatores associados à consulta médica entre adultos de uma comunidade de baixa renda do Sul do Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Prevalência e fatores associados à consulta médica entre adultos de uma comunidade de baixa renda do Sul do Brasil
Outro título Prevalence of medical appointments and associated factors among adults in a low-income community in southern Brazil
Autor Bastos, Gisele Alsina Nader
Harzheim, Erno
Sousa, Aline Iara de
Data 2014
Assunto Consulta médica
Estudos transversais
Serviços de saúde : Avaliação
[en] Cross-sectional studies
[en] Health service use
[en] Socioeconomic factors
Resumo OBJETIVO: estimar a prevalência de consultas médicas, nos três meses que antecederam à entrevista, em adultos de 20 anos ou mais, de uma comunidade de baixa renda, do Sul do Brasil, em 2O09. MÉTODOS: foi realizado estudo transversal, com análise ajustada por meio de Regressão de Poisson. RESULTADOS: a prevalência de consulta médica nos 3.391 entrevistados foi 76,2% (Intervalo de Confiança de 95% (IC95%) 74,8; 77,6%) no último ano e 64,8% (IC95% 63,0; 66,7%) nos últimos três meses, maior entre as mulheres (67,8%) do que entre os homens (60,2%) (p<0,001). Na análise ajustada, para homens, o desfecho associou-se mais fortemente: ao aumento de idade (p=0,001) e autopercepção de saúde ruim/ muito ruim (p<0,001). Entre mulheres, ao aumento da idade (p=0,001), possuir médico de referência (p=0,001), local usual de atendimento (p<0,001) e morbidades (p= 0,001). CONCLUSÕES: a diferença na utilização de consultas deve ser considerada no planejamento e organização do acesso.
Abstract Objective: to estimate medical appointment prevalence during the three months prior to interview, in adults aged ≥20 from a low-income community in Southern Brazil in 2009. Methods: Cross-sectional study with analysis adjusted using Poisson regression. Results: 3391 people were interviewed. Medical appointment prevalence was 76.2% (95%CI 74.8, 77.6) in the last year and 64.8 % (95%CI 63.0, 66.7) in the last three months: 67.8 % in females (95%CI 65.5, 70.1) (p<0.001); 60.2 % in males (95%CI 57.1, 63.2). Adjusted analysis outcome in males was more strongly associated with increasing age (p=0.001) and poor/very poor self-rated health (p<0.001). In females association was with increasing age (p=0.001), seeing the same physician (p=0.001), usual place of care (p<0.001) and morbidities (p=0.001). Conclusions: differences in appointment use should be considered when planning and organizing access.
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/147268
Arquivos Descrição Formato
000992553.pdf (206.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.