Repositório Digital

A- A A+

O extrativismo de samambaia-preta : uma alternativa de renda para agricultores familiares da encosta da Mata Atlântica no município de Maquiné (RS)

.

O extrativismo de samambaia-preta : uma alternativa de renda para agricultores familiares da encosta da Mata Atlântica no município de Maquiné (RS)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O extrativismo de samambaia-preta : uma alternativa de renda para agricultores familiares da encosta da Mata Atlântica no município de Maquiné (RS)
Autor Acosta Suárez, Jorge Eliécer
Orientador Coelho-de-Souza, Gabriela
Co-orientador Miguel, Lovois de Andrade
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural.
Assunto Agricultores
Agricultura familiar
Desenvolvimento rural
Extrativismo vegetal
Maquiné (RS)
Mata Atlântica
[en] Atlantic forest
[en] Black-fern
[en] Familiar farmers
[en] Harvest
[en] Rio Grande do Sul
[es] Agricultores familiares
[es] Bosque Tropical Atlántico
[es] Extracción
[es] Helechos negros
[es] Rio Grande do Sul
Resumo O Projeto Samambaia-preta (PSP) vem sendo desenvolvido desde o ano 2000, nas áreas de encosta da Floresta Ombrófila Densa, no município de Maquiné, Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Nesta região, estão localizadas as zonas núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (MAB/UNESCO), recebendo várias restrições quanto ao manejo das propriedades. O PSP visava avaliar a sustentabilidade do extrativismo da samambaia-preta, sob o ponto de vista ambiental, social e econômico. A comprovação científica da sustentabilidade ecológica dos sistemas de manejo tradicionalmente utilizados pelos agricultores embasou a construção de uma nova regulamentação, baseada no conhecimento dos agricultores. Apesar deste fato, está sendo registrada pelos agricultores e pesquisadores a diminuição da samambaia, como conseqüência da regeneração dos estádios sucessionais iniciais e médios (capoeira) da Mata Atlântica. Este processo é decorrente da coibição das práticas de manejo tradicionais pela legislação ambiental. Neste contexto, o presente trabalho tem como objetivo: compreender a atividade extrativista da samambaia-preta na área de Encosta da Mata Atlântica, município de Maquiné, e a sua relação com as demais atividades desenvolvidas pelos diferentes tipos de agricultores, correlacionando com uma análise espacial e de produção das áreas de extrativismo. O enfoque metodológico baseia-se em “estudo de caso”, o qual permite ter uma percepção mais completa do objeto de estudo, a partir de um enfoque sistêmico. A partir de uma tipologia prévia dos sistemas de produção dos agricultores familiares extrativistas da samambaia em Maquiné, foram selecionados quatro estudos de caso representativos. As técnicas utilizadas na pesquisa foram: a) observação simples e participante; b) aplicação de entrevistas semi-estruturadas; c) pesquisa em documentação direta e indireta; d) análise espacial através de cartografia e georefenciamento. O extrativismo é praticado por famílias que têm como atividade principal o plantio agrícola e a produção pecuária, sendo a samambaia uma complementação da renda dos tipos II, III e IV, e atividade de renda principal para o tipo I. Do ponto de vista espacial, as distâncias percorridas pelos agricultores para realizar a coleta da samambaia estão aumentado paulatinamente devido à diminuição dos estoques perto das moradias. Além disso, as áreas estão diminuindo devido ao abandono das práticas culturais dos agricultores, que incluem a realização da agricultura de corte e queima e, durante as fases de pousio, a coleta da samambaia. Verificou-se a falta de acesso dos agricultores à informação referente: a) às potencialidades do mercado da samambaia-preta, b) à legislação atual que rege a atividade extrativista e os seus territórios. Além disso, verificaram-se ausência de organização comunitária, deficiência no gerenciamento da produção e comercialização, beneficiamento e meios de transporte para a circulação da samambaia-preta e os baixos preços pagos pela samambaia, os quais ficam restritos aos valores estabelecidos pelo atravessador. A realização deste estudo permitiu uma caracterização mais aprofundada de uma tipologia anteriormente proposta para a região, evidenciando que os agricultores familiares mais empobrecidos estão se desfazendo de suas terras para tentar outras condições de reprodução social, diferentes da agricultura, tendo na coleta regular da samambaia um emprego. Enquanto que agricultores familiares com maiores extensões de terra fazem de o extrativismo uma forma complementar de renda.
Resumen El Proyecto Samamabia-preta (PSP) está desarrollándose desde el año 2000, en las áreas de ladera del Bosque Ombrófilo Denso, en el municipio de Maquiné, en la costa norte del Rio Grande do Sul. En esta región, están ubicadas las zonas núcleo de la Reserva de la Biosfera del Bosque Tropical Atlántico (MAB/UNESCO), que tienen varias restricciones en el manejo de las propiedades. El PSP pretendía evaluar la sostenibilidad de la extracción del helecho negro, desde un punto de vista ambiental, social y económico. La evidencia científica de la sostenibilidad ecológica de los sistemas de manejo tradicionalmente usados por los agricultores, originó la construcción de una nueva reglamentación, basada en el conocimiento de estos. A pesar de este hecho, se está registrando por parte de los agricultores y los investigadores la disminución de los helechos, como una consecuencia de la regeneración de los estados sucesionales iniciales y del sotobosque en el Bosque Tropical Atlántico. Este fenómeno está relacionado con la prohibición por parte de la legislación ambiental de las prácticas culturales tradicionales en la agricultura. Dentro de este contexto, el presente trabajo tiene como objetivo: comprender la actividad extractiva del helecho negro en el área de ladera del Bosque Tropical Atlántico, municipio de Maquiné, y su relación con las otras actividades practicadas por los diversos tipos de agricultores, correlacionándolo con un análisis espacial y de producción de las áreas de extracción. El enfoque metodológico es el estudio de caso, que permite tener una percepción mas completa del objeto de estudio, desde un enfoque sistémico. A partir de una caracterización anterior de los sistemas de producción de los agricultores familiares extractores de helecho negro en Maquiné, fueron seleccionados cuatro estudios de caso que representaban cada tipo de agricultor. Las técnicas de investigación utilizadas fueron: a) observación simple y participativa; b) aplicación de entrevistas semiestructuradas; a) análisis documental directo e indirecto; d) análisis espacial a través de cartografía y georreferenciación. La extracción es practicada por familias que tienen como principal actividad la producción agropecuaria, siendo la extracción de helecho negro un ingreso complementario para las familias de los tipos II, III y IV, y una actividad principal en las del tipo I. Desde el punto de vista espacial, las distancias recorridas por los agricultores para la recolección de helechos son cada vez mayores, debido a la disminución del producto en las áreas cercanas a sus viviendas. Igualmente, las áreas productoras de helechos están disminuyendo debido al abandono de las prácticas culturales de los agricultores, que practican la agricultura de corte y quema y, durante las épocas de baldío, la recolección de helechos. Se comprobó la falta de acceso de los agricultores a cierto tipo de información como: a) las potencialidades del mercado de helechos negros; b) la legislación actual que rige la extracción y los lugares donde ésta se practica. De la misma forma, se evidenció la ausencia de organización comunitaria, la deficiencia en la gerencia de la producción y la comercialización, el beneficio y los medios de transporte para la circulación del helecho negro; igualmente, los bajos precios de venta del producto, los cuales son fijados por los mayoristas. La realización de este estudio permitió una caracterización mas profunda de una topología anteriormente propuesta para la región, comprobándose que los agricultores familiares más pobres están vendiendo sus tierras para desarrollar otras formas de reproducción socioeconómica diferentes a la agricultura, encontrando normalmente en la recolección de helechos una alternativa de empleo. Mientras que otros agricultores familiares con mayores extensiones de tierra hacen de la extracción una forma complementaria de ingresos.
Abstract The Samambaia-preta Project (PSP) has been developed since 2000, at the slope areas of the Atlantic Forest in Maquiné, in the North Coast of Rio Grande do Sul. The nucleus zones of the Atlantic Forest’s Biosphere Reserve (MAB/UNESCO) are placed in this region, suffering several restrictions concerning the management of the properties. The PSP aimed to assess the sustainability of the harvest of ‘samambaia-preta’, under the environmental social and economical standpoint. The scientifical proof of the environmental sustainability of the management systems traditionally used by farmers substantiated the construction of a new regulation, based upon the farmers’ knowledge. Despite the fact, the reduction of the fern as consequence of the regeneration of the initial and middle successive phases (capoeira) of the Atlantic Forest has been noticed by both farmers and researchers. This process results from the restraint of the traditional management practices by the environmental enactment. In such context, the current paper has as objective: to understand the harvest activity of black-fern at the slope area of the Atlantic Forest, Maquiné and its relationship with the other activities carried on by the different types of farmers, correlating them with a spatial and harvest areas production analyses. The methodological focus is based on “case study”, which allows having a major perception of the study object, from a systemic approach. Four representative case studies were selected from a previous typology of the familiar farmers production system harvesters of the black-fern in Maquiné. The techniques used in the research were: a) simple and participative observation; b) semi-structures interviews application; c) research on direct and indirect documentation; d) spatial analysis through cartography and georeference. Harvest is practiced by families which have as main activity the agricultural planting and the cattleraising production, being the fern an income complement to the types II, III and IV, and a main income activity to the type I. From the spatial point of view, the distances reached by farmers to harvest the fern are increasing gradually, due to the reduction of the stocks near the dwellings. Furthermore, the areas are diminishing due to the abandonment of farmers’ cultural practices. The farmers’ lack of access to information was noticed referring to: a) the blackfern market potentialities; b) current legislation which regulates the harvest activity and its territories. Moreover, a community organization absence, production and trade management deficiencies, manufacturing and transporting for the circulation of the black-fern and the low prices paid for the fern which are restricted to values established by the dealer were observed. The making of this study permitted a deeper characterization of a typology previously posed for the region, highlighting that poorer familiar farmers are selling their lands to attempt conditions of social reproduction other than the agriculture, having in the regular fern harvest a job while familiar farmers owning bigger portions of land have the harvest as a complementary form of income.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/14755
Arquivos Descrição Formato
000666348.pdf (1.799Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.