Repositório Digital

A- A A+

Hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis in the state of Rio Grande do Sul, Brazil

.

Hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis in the state of Rio Grande do Sul, Brazil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis in the state of Rio Grande do Sul, Brazil
Outro título Internações por colecistite e colelitíase no Rio Grande do Sul, Brasil
Autor Nunes, Emeline Caldana
Rosa, Roger dos Santos
Bordin, Ronaldo
Abstract Background: The cholelithiasis is disease of surgical resolution with about 60,000 hospitalizations per year in the Sistema Único de Saúde (SUS - Brazilian National Health System) of the Rio Grande do Sul state. Aim: To describe the profile of hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis performed by the SUS of Rio Grande do Sul state, 2011- 2013. Methods: Hospital Information System data from the National Health System through morbidity list for cholelithiasis and cholecystitis (ICD-10 K80-K81). Variables studied were sex, age, number of hospitalizations and approved Hospitalization Authorizations (AIH), total amount and value of hospital services generated, days and average length of stay, mortality, mortality and case fatality ratio, from health regions of the Rio Grande do Sul. Results: During 2011-2013 there were 60,517 hospitalizations for cholecystitis and cholelithiasis, representing 18.86 hospitalizations per 10,000 inhabitants/year, most often in the age group from 60 to 69 years (41.34 admissions per 10,000 inhabitants/year) and female (27.72 hospitalizations per 10,000 inhabitants/year). The fatality rate presented an inverse characteristic: 13.52 deaths per 1,000 admissions/year for males, compared with 7.12 deaths per 1,000 admissions/year in females. The state had an average total amount spent and value of hospital services of R$ 16,244,050.60 and R$ 10,890,461.31, respectively. The health region “Capital/Gravataí Valley” exhibit the highest total expenditure and hospital services, and the largest number of deaths, and average length of stay. Conclusion: The hospitalization and lethality coefficients, the deaths, the length of stay and spending related to admissions increased from 50 years old. Females had a higher frequency and higher values spent on hospitalization, while the male higher coefficient of mortality and mean hospital stay.
Resumo Racional: A colelitíase é doença de resolução cirúrgica com cerca de 60.000 internações por ano no Sistema Único de Saúde no estado do Rio Grande do Sul. Objetivo: Descrever o perfil das internações por colecistite e colelitíase na rede pública do estado no triênio 2011-2013. Métodos: Emprego de dados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde, através da lista de morbidades para colelitíase e colecistite (CID-10 K80-K81). As variáveis estudadas foram: sexo, idade, número de internações e de Autorizações de Internação Hospitalar aprovadas, valor total e valor dos serviços hospitalares gerados, dias e média de permanência, óbitos, coeficiente de mortalidade e letalidade, a partir das regiões de saúde do estado. Resultados: No triênio ocorreram 60.517 internações por colecistite e colelitíase, o que representou 18,86 internações por 10.000 habitantes/ano, mais frequente na faixa etária dos 60 aos 69 anos (41,34 internações por 10.000 habitantes/ ano) e no sexo feminino (27,72 hospitalizações por 10.000 habitantes/ano). O coeficiente de letalidade apresentou característica inversa: 13,52 óbitos para 1.000 internações/ano para o sexo masculino, contra 7,12 óbitos para 1.000 internações/ano no sexo feminino. O estado apresentou médias de valor total gasto e de valor dos serviços hospitalares de R$16.244.050,60 e R$10.890.461,31, respectivamente. A região de saúde “Capital/Vale do Gravataí” apresentou o maior valor total gasto e de serviços hospitalares, e o maior número de óbitos, média e dias de permanência Conclusão: Os coeficientes de internação e de letalidade, os óbitos, os dias de permanência e os gastos referentes às internações aumentam a partir dos 50 anos de idade. O sexo feminino apresentou maior frequência e maiores valores gastos com a internação, enquanto o masculino maior coeficiente de letalidade e média de permanência hospitalar.
Contido em ABCD : arquivos brasileiros de cirurgia digestiva = ABCD : brazilian archives of digestive surgery. São Paulo. Vol. 29, n. 2 (2016), p. 77-80
Assunto Colecistectomia
Colecistite
Colelitíase
Economia da saúde
Gestão em saúde
[en] Cholecystectomy
[en] Cholecystitis
[en] Cholelithiasis
[en] Health economics
[en] Health management
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/147578
Arquivos Descrição Formato
000998659.pdf (748.6Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.