Repositório Digital

A- A A+

Caracterização das respostas cardiovasculares à indução do metaboreflexo muscular periférico em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, e insuficiência cardíaca coexistente, comparado com doença pulmonar obstrutiva crônica e insuficiência cardíaca isolada

.

Caracterização das respostas cardiovasculares à indução do metaboreflexo muscular periférico em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, e insuficiência cardíaca coexistente, comparado com doença pulmonar obstrutiva crônica e insuficiência cardíaca isolada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização das respostas cardiovasculares à indução do metaboreflexo muscular periférico em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, e insuficiência cardíaca coexistente, comparado com doença pulmonar obstrutiva crônica e insuficiência cardíaca isolada
Autor Santos, Mariah Castilho dos
Orientador Chiappa, Gaspar Rogério da Silva
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares.
Assunto Doença pulmonar obstrutiva crônica
Frequência cardíaca
Sistema nervoso autônomo
Resumo Introdução: A hiperestimulação simpática acontece frequentemente nas condições isoladas da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e insuficiência cardíaca (IC), porém pode estar presente em pacientes com sobreposição da DPOC-IC, alterando o controle do fluxo sanguíneo. Esse controle tem sido avaliado através da indução do metaboreflexo muscular esquelético (MME) provocado pelo teste de reflexo pressórico. Em nosso estudo, testamos a hipótese de que a presença da resposta exacerbada da atividade simpática encontrada isoladamente na DPOC e IC, pode atenuar a resposta do MME em pacientes com DPOC-IC coexistente. Métodos: Dezenove pacientes com DPOC (VEF1 = 40,01 ± 3,11% do prev), 10 pacientes com IC (FEVE = 30,90 ± 2,85%), 11 pacientes com DPOC-IC (VEF1 = 47,24 ± 4,40% do prev, e FEVE = 38,20 ± 2,90 %), e 11 indivíduos controles pareados por idade participaram do estudo. A resposta da pressão inspiratória máxima (PImax), capacidade funcional avaliado através do consumo de oxigênio no pico do exercício ( O2pico), exacerbações, drogas, frequência cardíaca (FC), pressão arterial média (PAM), fluxo sanguíneo periférico (FSP), e respostas da resistência vascular periférica (RVP) foram avaliados durante a técnica de indução do MME. Resultados: Pacientes com DPOC-IC apresentaram uma menor PImax e O2pico comparados aos controles (p<0,05). A PAM foi significamente maior na IC em comparação com DPOC e DPOC-IC durante o exercício. Aumento na RVP e decréscimo no FSP induzidos pelo metaboreflexo muscular foram significamente menores em pacientes com DPOC e DPOC-IC, e maior em pacientes com IC (p<0,05). Considerando todos os sujeitos, houve correlação do O2pico com a diferença de a área sob a curva de RVP, VEF1, PImax, e CI / CPT (p <0,001). Conclusão: Este é o primeiro estudo a sugerir que pacientes com sobreposição de DPOC-IC apresentam diminuição na resposta da resistência vascular periférica ao exercício de preensão manual e ativação do metaboreflexo muscular esquelético quando comparados a pacientes com DPOC e IC isolada. Portanto esses achados indicam uma atenuação da atividade do metaboreflexo muscular em pacientes com sobreposição de DPOC-IC.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/148072
Arquivos Descrição Formato
000998095.pdf (740.6Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.