Repositório Digital

A- A A+

Fatores que interferem na transmissão materno-infantil do HIV em um hospital universitário do município de Porto Alegre

.

Fatores que interferem na transmissão materno-infantil do HIV em um hospital universitário do município de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Fatores que interferem na transmissão materno-infantil do HIV em um hospital universitário do município de Porto Alegre
Autor Leopoldino, Maria Aparecida Andreza
Orientador Corleta, Helena von Eye
Co-orientador Chaves, Eunice Beatriz Martin
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Ginecologia e Obstetrícia.
Assunto Cuidado pré-natal
Síndrome de imunodeficiência adquirida
Transmissão vertical de doença infecciosa
[en] Acquired immunodeficiency syndrome
[en] Infectious disease transmission
[en] Prenatal care
[en] Risk factors
[en] Vertical
Resumo Introdução: O Protocol Aids Clinical Trial Group (PACTG 076), publicado em 1994, demonstrou que a utilização da zidovudina (ZDV) reduzia a taxa de transmissão materno-infantil do HIV (TMI HIV) de 25% para 8,3%. Atualmente a terapia antirretroviral (TARV) combinada associada a uma série de medidas pode reduzir a taxa de TMI HIV para menos de 2%. Embora o Ministério da Saúde preconize a adoção destas medidas, a TMI HIV ainda permanece acima dos níveis desejados, principalmente em nosso meio. De acordo com levantamento da Vigilância Epidemiológica do Município de Porto Alegre, no ano de 2012 a taxa TMI HIV foi de 2,9%. Objetivo: Avaliar os fatores que interferem na TMI HIV em um Hospital Universitário do Município de Porto Alegre/RS. Método: Trata-se de um estudo de coorte histórico, tendo como amostra 292 bebês nascidos de mulheres portadoras do HIV, cujos nascimentos ocorreram no Centro Obstétrico de um Hospital Universitário do Município de Porto Alegre/RS, entre 1º de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2014. Resultados: Dos 292 bebês, cujas mães eram portadoras do HIV, 3,8% (n=11) foram contaminados. Destes 90,9% (n=10) nasceram por cesariana; 90,9% (n=10) tinham d37 semanas; 54,6% (n=6) receberam ZDV xarope isoladamente e 45,4% (n=5) receberam ZDV + nevirapina (NVP). Quatro gestantes cujos bebês foram contaminados apresentaram sífilis na gestação (36,4%). A má adesão a TARV (p<0,003), a carga viral d1.000 cópias/mL ou ignorada no 3º trimestre (p<0,001) e o CD4 <500 células/mm3 (p<0,046) no terceiro trimestre foram significativamente associados a maior TMI HIV. Conclusão: Os fatores associados significativamente a TMI HIV foram à má adesão a TARV, a presença de sífilis na gestação, a carga viral d1000 cópias e o CD4 <500 células/mm³ no terceiro trimestre.
Abstract Introduction: Protocol Aids Clinical Trial Group (PACTG 076), published in 1994, demonstrated that the use of zidovudine (ZDV) had reduced the rate of mother-tochild transmission (MTCT) of HIV from 25% to 8.3%. Currently, a combined antiretroviral therapy (HAART) associated with a number of measures can reduce the rate of MTCT to less than 2%. Although the Ministry of Health recommends the adoption of these measures, the MTCT still remains above desired levels, especially in our center. According to a survey of Epidemiological Surveillance of Porto Alegre, in 2012 the rate of MTCT was 2.9%. Objective: To evaluate the factors that interfere with MTCT from HIV-positive women who gave birth in a University Hospital of Porto Alegre/RS. Method: A historical cohort study, with a sample 292 babies from HIV infected mother whose delivery occurred at Obstetric Center of the University Hospital of Porto Alegre/RS, at period of January 2010 till December 2014. Results: Of 292 babies of women HIV positive, 3.8% (n=11) were infected. Of those 90.9% (n=10) was born by cesarean section; 90.9% (n=10) had d37 weeks; 54.6% (n=6) received only ZDV syrup and 45.4% (n=5) received ZDV+nevirapine (NVP). Four pregnant women whose babies were infected, mother had syphilis during pregnancy (36.4%). Poor adherence to HAART (p<0.003), viral load d1000 copies/mL or ignored in the third trimester (p<0.001) and CD4 <500 cells/mm3 (p<0.046) in the third trimester were significantly associated with higher MTCT. Conclusion: We conclude that the presence of syphilis in pregnancy, viral load d1000 copies/mL or ignored in the third trimester, the CD4 <500 cells/mm³ in the third trimester, poor adherence to HAART were significant factors for MTCT.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/148103
Arquivos Descrição Formato
001001918.pdf (531.6Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.