Repositório Digital

A- A A+

Internações por condições sensíveis à atenção primária e qualidade da saúde da família em Belo Horizonte/Brasil

.

Internações por condições sensíveis à atenção primária e qualidade da saúde da família em Belo Horizonte/Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Internações por condições sensíveis à atenção primária e qualidade da saúde da família em Belo Horizonte/Brasil
Autor Mendonca, Claunara Schilling
Orientador Harzheim, Erno
Data 2016
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Atenção primária à saúde
Epidemiologia
[en] Acute and chronic diseases
[en] Ambulatory care sensitive conditions (ACSC)
[en] Equity
[en] Health services research
[en] Hospitalization
[en] Primary health care
[en] Social determinants of health
Resumo Justificativa: Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP) são utilizadas como medida da efetividade da atenção à saúde e menores taxas estão associadas ao maior acesso à Atenção Primária à Saúde (APS). Poucos estudos utilizam instrumentos que medem a qualidade da APS e seu efeito nas taxas de internações. Esse estudo buscou identificar fatores individuais, contextuais e dos atributos da APS, medidos nas Equipes de Saúde da Família (ESF), associados com a variação das ICSAP. Métodos: Estudo ecológico das taxas de ICSAP e sua associação com as variáveis preditoras na população de Belo Horizonte, Minas Gerais, entre 2010 e 2013, analisadas por um modelo multinível. Resultados: Do total de 447.500 internações, excluídos os partos, 85.211 foram ICSAP, correspondendo a 19% do total de Internações. Dessas, 50,8% ocorreram em mulheres, 33% em menores de 18 anos, 32% em adultos e 35% em maiores de 60 anos. As taxas padronizadas anuais de ICSAP entre 2010 e 2013, foram maior nos homens (114,5/10.000) que nas mulheres (107,1/10.000). A vulnerabilidade socioeconômica da população está fortemente associada com o comportamento das taxas de internação. O aumento de 10% na população de alto risco ampliou em 4 ICSAP por 10.000 mulheres e em 3 ICSAP por 10.000 homens. Enquanto um aumento de 10% na população de baixo risco, uma redução de 6 ICSAP em mulheres e 5 nos homens, em cada Unidade Básica de Saúde. Nas análises realizadas na população adulta e idosa, para os grupos de doenças agudas e crônicas mais prevalentes nessa faixa etária, o aumento de uma unidade a mais no escore de qualidade da APS, reduz a taxa de ICSAP em 4% ao ano nas mulheres idosas com doenças crônicas. Conclusão: A utilização das ICSAP como medida da efetividade da APS/SF deve ter seu escopo ampliado, incluindo, além das características individuais e dos serviços, as socioeconômicas. Os melhores escores de qualidade da APS tem efeito significativo na redução das taxas de internações por condições crônicas, em mulheres idosas, ao longo dos anos. Como a vulnerabilidade socioeconômica esteve fortemente relacionada ao comportamento das taxas de ICSAP, esses achados reforçam a importância da APS na redução das iniquidades, ao atender uma população idosa e vulnerável, em um contexto de grandes desigualdades, como é o caso dessa metrópole brasileira.
Abstract Introduction. Ambulatory Care Sensitive Conditions (ACSC) have been used as a measure of the effectiveness of Primary Health Care (PHC). Few studies have, however, analysed changes in the rates of these hospitalizations using instruments that measure the quality of PHC and its effect on admission rates. This study aimed to identify individual factors, with the variation of ACSC. Methods. Ecological study of ACSC rates and their association with the predictor variables in the population of Belo Horizonte, Minas Gerais, between 2010 and 2013, analyzed by a multilevel model. Results. Of the total 447,500 admissions, excluding births, 85,211 were ICSAP, corresponding to 19% of total admissions. Of these, 50.8% occurred in women, 33% under 18, 32% in adults and 35% over 60 years. The annual standardized rates ACSC between 2010 and 2013 were higher in men (114.5 /10,000) than in women (107.1/10,000). The socio-economic vulnerability of the population is strongly associated with the trends of hospitalization rates. The 10% increase in high-risk population expanded by 4 and 3 ACSC per 10,000 women and men, respectively. While an increase of 10% in low-risk population, a reduction of 6 and 5 ACSC per 10.000 in women and men in each Basic Health Unit. In the analyzes in adults and the elderly, for most prevalent acute and chronic diseases in this age group, the increase of one more unit in the APS quality score, reduces ICSAP rate of 4% per year in older women with chronic diseases. Conclusion. The PHC best quality scores have significant effect in reducing hospitalization rates for chronic conditions in elderly women over the years. As the socioeconomic vulnerability was strongly related to the behavior of ACSC rates, these findings reinforce the importance of PHC in reducing inequities, particularly in large inequalities contexts, as in the case of a Brazilian metropolis. And reinforce the need to expand the assessment of the scope to use ACSC as a mesure of effectiveness of PHC, considering the individual, services and socio-economic characteristics.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/148133
Arquivos Descrição Formato
001001464.pdf (1.633Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.