Repositório Digital

A- A A+

Resultados acerca do uso de substâncias psicoativas no Brasil a partir de estudos multicêntricos

.

Resultados acerca do uso de substâncias psicoativas no Brasil a partir de estudos multicêntricos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Resultados acerca do uso de substâncias psicoativas no Brasil a partir de estudos multicêntricos
Autor Faller, Sibele
Orientador Pechansky, Flavio
Co-orientador Kessler, Felix Henrique Paim
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Ciências do Comportamento.
Assunto Alcoolismo
Cocaína crack
Qualidade de vida
Saúde pública
Transtornos relacionados ao uso de substâncias
[en] Alcohol
[en] Crack
[en] Drugs
[en] Psychiatric comorbidities
[en] Psychoactive substances
[en] Quality of life
[en] Trauma
[en] Treatment
[en] Violence
Resumo Objetivos: Essa tese apresentou dados de dois estudos pioneiros no país, considerando a avaliação de usuários de SPAs em tratamento e a associação entre marcadores de gravidade em usuários de crack. Método: Os dados são oriundos de dois estudos multicêntricos. Estudo 1: delineamento transversal. Foram avaliados adultos (>18 anos) em uso recente de álcool ou drogas (n=600), provenientes de locais públicos de tratamento (ambulatórios e internações). Os instrumentos aplicados foram: ASI6, WHOQOL-BREF e MINI. Estudo 2: delineamento longitudinal. Foram avaliados adultos (>18 anos) com diagnóstico de abuso ou dependência de crack (n=1100), provenientes de locais públicos de tratamento (ambulatórios e internações). Os instrumentos aplicados foram: ASI6, MINI, PCC e EGD. Resultados: No Artigo 1, os escores do ASI6 foram comparados entre usuários que nunca haviam recebido tratamento para uso de substâncias psicoativas (n=265, 36,1%) e aqueles que já haviam sido tratados em uma ou mais ocasiões (n=470, 63,9%). Essas análises revelaram diferenças significativas entre os grupos em relação ao uso de drogas, transtornos psiquiátricos, problemas legais e familiares/sociais (p0.05). No artigo 2, foi realizada uma análise de regressão entre os escores do ASI-6 e os domínios do WHOQOL-BREF, que foram examinados usando variáveis que apresentaram significância estatística na análise de correlação. Todos os problemas relacionados às diferentes áreas da vida apresentaram correlações negativas com os domínios de qualidade de vida. No artigo 3, foi desenvolvido um modelo de equações estruturais, que apresentou um bom ajuste. A gravidade do uso de crack mediou a relação entre transtorno de conduta e violência. A associação direta entre a gravidade do uso de crack e comportamento violento (=.67) foi mais baixa do que a associação entre a gravidade do uso de álcool e comportamento violento (=.68). O Transtorno de conduta afeta a gravidade do uso de crack (= .17), que impacta na violência, mediada pelo uso de álcool. Considerações finais: Em relação ao primeiro artigo apresentado, os achados evidenciam a complexidade presente no tratamento dos indivíduos com problemas relacionados ao uso nocivo de substâncias, mostrando variáveis que influenciam na gestão dos pacientes e no planejamento de intervenções. O segundo artigo verificou que a diminuição da qualidade de vida em pacientes alcoolistas não estava diretamente vinculada à gravidade do uso de álcool, mas sim a problemas comuns encontrados em amostras equivalentes, como questões médicas. O terceiro artigo desenvolveu um modelo de equações estruturais com o objetivo de explicar parte das associações entre trauma, gravidade do uso de crack, transtorno de conduta, outras comorbidades psiquiátricas, uso de álcool e violência, variável esta posta como desfecho. A associação direta entre a gravidade do uso de crack e comportamento violento foi menor do que entre a gravidade do uso de álcool e comportamento violento. O transtorno de conduta afetou a gravidade do uso de crack, variável esta que impacta na violência mediada pelo álcool. Espera-se que esses estudos contribuam para um planejamento de intervenções terapêuticas mais adequadas e para o desenvolvimento de estratégias de prevenção e políticas públicas que protejam esse indivíduo, contemplando os vários aspectos de sua vida.
Abstract Introduction: This thesis presented data from two pioneering studies in the country regarding the evaluation of substance users in treatment and the association between markers of severity in crack users. Objectives: The aims were to identify characteristics of drug users under treatment, with an emphasis on severity of problems, drug that motivated seeking treatment, and quality of life in alcoholics, as well the relations between traumatic events, psychiatric comorbidity, severity of crack use and violence in crack users. Method: Data were obtained from two multicenter studies. Study 1: cross-sectional design. Adults (> 18) of a public treatment system, with recent use of alcohol or drugs (n = 600) were evaluated. The instruments applied were: ASI6, WHOQOL e MINI. Study 2: longitudinal design. Adults (> 18) from a public treatment system, diagnosed with crack abuse or dependence (n = 1100) were evaluated. The instruments applied were: ASI6, MINI, PCC and EGD. Results: Paper 1: The SS-Rs were compared between users who had never received treatment for psychoactive substance abuse (n=265, 36.1%) and those who had already been treated for substance abuse in one or more occasions (n=470, 63.9%). This analysis revealed significant differences between the groups in the drug, psychiatric symptoms, legal, and family/social problems areas (p0.05). Paper 2: The regression analyses between the ASI-6 summary scores and the WHOQOL-BREF domains analyzed variables that presented statistical significance in the correlation analysis. All problems related to the different areas of life showed negative correlations with QoL domains. Paper 3: The path model corresponding to the study constructs indicated a good fit to the data. Severity of crack use mediated the relationship between conduct disorder and violence. The direct association between the severity of crack cocaine use and violent behavior (estimate =.67) was lower than the association between the severity of alcohol use and violent behavior (estimate =.68). Conduct disorder affects the severity of crack use (estimate = .17), which impacts violence mediated by alcohol. Conclusions: The findings highlight the complexity involved in the treatment for individuals with problems related to harmful substances use, showing variables that influence in interventions planning. We found that the decreased quality of life in alcoholics was not directly linked to the severity of alcohol use, but to the common problems found in similar samples, like medical issues. According to the structural equation model, conduct disorder affected the severity of crack use, which impacted violence mediated by alcohol. It is expected that these studies contribute to shape appropriate therapeutic interventions planning and the development of public policies and prevention strategies that protect individuals, considering the various aspects of life.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/148849
Arquivos Descrição Formato
001003986.pdf (5.131Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.