Repositório Digital

A- A A+

Levantamento da diversidade de borboletas (Lepidoptera: Rhopalocera) e sua variação ao longo de um gradiente altitudinal em uma região de Mata Atlântica, município de Maquiné, RS

.

Levantamento da diversidade de borboletas (Lepidoptera: Rhopalocera) e sua variação ao longo de um gradiente altitudinal em uma região de Mata Atlântica, município de Maquiné, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Levantamento da diversidade de borboletas (Lepidoptera: Rhopalocera) e sua variação ao longo de um gradiente altitudinal em uma região de Mata Atlântica, município de Maquiné, RS
Autor Iserhard, Cristiano Agra
Orientador Romanowski, Helena Piccoli
Data 2003
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Borboletas
Distribuicao geografica
Diversidade animal
Ecologia de populações
Maquiné (RS)
Mata Atlântica
Resumo A realização de estudos que visam a conservação de áreas naturais e da biodiversidade tem se mostrado cada vez mais urgentes. As borboletas, por serem consideradas um grupo suscetível a destruição e fragmentação de habitats, fornecem respostas rápidas e diretas a distúrbios ambientais, sendo consideradas indicadoras da qualidade ambiental. Procurando contribuir para o levantamento sistemático e o conhecimento da lepidopterofauna da Mata Atlântica, e em áreas de preservação do Rio Grande do Sul, foram realizadas saídas de campo bimestrais, entre junho de 2001 e agosto de 2002, para o município de Maquiné (29o35’ S 50o16’ W GR), localizado na região nordeste do Estado. Todos os locais foram observados quanto a caracterização dos diversos ambiente da região. Foram selecionadas quatro trilhas (Trilha do Carvão, Trilha do Ligeiro, Trilha do Garapiá e Trilha da Serrinha) para a elaboração de uma lista de espécies, para verificar registros ainda não publicados para o Estado, bem como a presença de espécies ameaçadas. A Trilha da Serrinha, contemplada também para análise do gradiente altitudinal, contém uma variação de aproximadamente 130 a 900 metros. Foram escolhidos quatro pontos de amostragem ao longo do gradiente: Ponto 1 (P1), 130 metros; Ponto 2 (P2), 250-300 metros; Ponto 3 (P3), 650-700 metros; Ponto 4 (P4), 850 metros. Foram avaliadas a diversidade, composição de espécies e similaridade ao longo do gradiente altitudinal. O total de 233 horas/rede de amostragem para as Trilhas do Carvão, Ligeiro, Garapiá e Serrinha, resultou em 5074 registrados, distribuídos em 319 espécies de borboletas. Sendo que 113 espécies pertencem à família Nymphalidae, 24 Pieridae, 13 Papilionidae, 98 Hesperiidae e 71 Lycaenidae. Foram encontradas 27 espécies com registro ainda não publicado para o Estado. A região do Vale do Rio Maquiné possui quatro espécies de borboletas ameaçadas, Adelpha isis (Nymphalidae); Arcas ducalis (Lycaenidae); Dismorphia crisia crisia; Dismorhia melia (Pieridae). Ao longo do gradiente altitudinal da Trilha da Serrinha o esforço amostral foi de 94 horas/rede, sendo registrados 1521 indivíduos, distribuídos em 199 espécies de borboletas nos quatro pontos de amostragem da trilha. P1 obteve 637 indivíduos distribuídos em 118 espécies de borboletas, seguido de P3 com 384 indivíduos em 96 espécies, P2 com 259 indivíduos distribuídos em 81 espécies e P4 com 241 indivíduos em 51 espécies. Conforme aumenta a distância entre os pontos de amostragem, a substituição de espécies (beta diversidade) é maior. O menor valor de beta diversidade é entre P1 e P2 (0,46), e o maior entre P2 e P4 (0,70). A similaridade diminui com a diferença altitudinal entre os pontos. P1 e P2 possuem o maior valor de Similaridade de Morisita- Horn (0,72). P2 e P4 possuem o menor valor de similaridade (0,17). Os resultados encontrados indicam que além da influência da altitude, as variações na composição de espécies de borboletas foram moldadas também por diferenças na composição da vegetação ao longo dos pontos amostrados. Os resultados gerados fornecerão subsídio para a um melhor entendimento da distribuição e diversidade de borboletas da Mata Atlântica do rio grande do Sul, servindo para futuras avaliações e monitoramentos do ambiente natural de Maquiné.
Abstract To contribute to a systematic survey and our knowledge on the biology of the butterflies from Atlantic Rainforest and conservation of natural habitats of Rio Grande do Sul, field work was carried out from june 2001 to august 2002 at Maquiné (29o35’ S 50o16’ W GR), RS, Brazil. At these sites, the butterflies were searched for and registered along previously existing trails, representing the different types of vegetation characteristic of the regions. Four trails were select (Trilha do Carvão, Trilha do Ligeiro, Trilha do Garapiá e Trilha da Serrinha) to the elaboration of species list. The Serrinha’s trail, used to assess an altitudinal gradient, has a variation in altitude about 130 to 850 meters, and was divided in 4 points: P1- 130 meters; P2- 250-300 meters; P3- 650-700 meters; P4- 850 meters. Abundance and species richness, diversity, similarity, and species composition were assessed. A total of 233 hours/net yielded 5074 lepidopterans of 319 species in five families. The species abundance distribution is given as a descriptor for the communities and basis for future monitoring programs. Nymphalidae was the most abundant family with 113 species, followed by Hesperiidae (98), Lycaenidae (71), Pieridae (24) e Papilionidae (13). There was 27 new registers for Rio Grande do Sul, and 4 threatened butterfly species, Adelpha isis (Nymphalidae); Arcas ducalis (Lycaenidae); Dismorphia crisia crisia e Dismorphia melia (Pieridae) were recorded. Along the altitudinal gradient, a sampling effort of 94 hours/net generated, yielded 1521 individuals, distributed in 199 species. P1 had 637 individuals in 118 species of butterflies; follow by P3 with 384 individuals in 96 species, P2 with 259 individuals in 81 species and P4 with 241 individuals in 51 species. The farther apart the points are in altitude, the higher species substitution (beta diversity). The minimum value for beta diversity is between P1 and P2 (0,46), and the maximum between P2 and P4 (0,70). Similarity decreases with the altitudinal differences among points. P1and P2 had the higher Similarity (MH= 0,72); P2 and P4 the lower (MH= 0,17). The results shows that the assemblages of butterflies is characteristic in each altitudinal zone, and is influenced both by altitude and by changes in vegetation. Results are discussed in the context of the study, and will provide information about distribution and diversity of Atlantic forest butterflies, and potential data base source for assessment and monitoring of natural environment of Maquiné and Rio Grande do Sul.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/14924
Arquivos Descrição Formato
000364253.pdf (2.703Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.