Repositório Digital

A- A A+

Ostracodes (Crustacea, Ostracoda) das praias rochosas de Santa Catarina, Brasil

.

Ostracodes (Crustacea, Ostracoda) das praias rochosas de Santa Catarina, Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Ostracodes (Crustacea, Ostracoda) das praias rochosas de Santa Catarina, Brasil
Autor Morais, Anderson Luiz Martins de
Orientador Coimbra, João Carlos
Data 2017
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Programa de Pós-Graduação em Geociências.
Assunto Ostracodes
Taxonomia
[en] Ostracodes
[en] Preservation potential
[en] Rocky sublittoral
[en] Taxonomy
Resumo Os ostracodes são microcrustáceos predominantemente bentônicos que deixaram rico registro fóssil, constituindo-se em importante ferramenta para a interpretação paleoambiental e bioestratigráfica. Estudos que tratam dos ostracodes recentes são de grande importância à Paleomicrontologia, pois muitos gêneros e até mesmo espécies do Cenozoico ainda são encontrados nos mares atuais. Diversos estudos versam sobre os Ostracoda na plataforma continental e talude superior no Brasil, mas são raras as pesquisas nas águas mais rasas do infralitoral. O principal objetivo deste estudo foi identificar e ilustrar a riqueza de espécies ao longo de uma ampla área litorânea do sul do Brasil, cuja costa é formada por numerosas pequenas praias guardadas por promontórios rochosos. Discutir aspectos relacionados à zoo- e à paleozoogeografia em especial dos elementos autóctones desta ostracofauna, além de introduzir a discussão sobre a fidelidade composicional entre associação viva e morta na área de estudo, estão entre os objetivos subsequentes.Dezoito famílias, 33 gêneros e 46 espécies foram identificados nesse estudo. A família Hemicytheridae é a mais representativa com 18 espécies, seguida por Cytheruridae com seis espécies. Duas espécies do gênero Xestoleberis Sars foram identificadas como prováveis novos táxons para Xestoleberididae. Preliminarmente, a fidelidade composicional é baixa, com maior riqueza na associação morta, bem como grande dominância e baixa riqueza na associação viva, um padrão esperado para zonas marinhas rasas como o infralitoral.
Abstract Ostracoda are microcrustaceans with predominantly benthic habit which exhibit an abundant fossil record and constitute an important tool for paleoenvironmental and biostratigraphic studies. Research about recent ostracodes are extremely relevant to Paleomicrontology since many genera and even species from Cenozoic are still found nowadays. Several studies on Ostracoda from Brazil have focused on continental shelf and upper slope. The present work aims to identify and illustrate the species richness over a broad coastal area from southern Brazil, which coast is represented by numerous small sandy beaches guarded by rock promontories. Also, discuss zoo- and paleozoogeographic aspects, mainly related to autochthonous elements of this ostracofauna, and to introduce the discussion of compositional fidelity between living and dead ostracode assemblages, are among the subsequent objectives. Eighteen families, 33 genera and 46 species were identified. The family Hemicytheridae is the most representative with 18 species followed by Cytheruridae with six species. Two Xestoleberididae species herein identified are probably new taxa. A preliminary analysis showed low compositional fidelity with richness higher in death than in living assemblages. The living assemblage showed high dominance and low richness. This pattern is common for shallow marine zones such the infralittoral.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/153380
Arquivos Descrição Formato
001015463.pdf (1.902Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.