Repositório Digital

A- A A+

Planejamento biorregional : uso da terra e política de gestão em unidades de conservação estaduais da Mata Atlântica, Rio Grande do Sul, Brasil

.

Planejamento biorregional : uso da terra e política de gestão em unidades de conservação estaduais da Mata Atlântica, Rio Grande do Sul, Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Planejamento biorregional : uso da terra e política de gestão em unidades de conservação estaduais da Mata Atlântica, Rio Grande do Sul, Brasil
Autor Ramos, Ricardo Aranha
Orientador Verdum, Roberto
Data 2008
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Assunto Geografia ambiental
Geografia física
Geoprocessamento
Mata Atlântica
Rio Grande do Sul
[en] Aratinga
[en] Atlantic forest
[en] Bioregional planning
[en] Conservation
[en] Geoprocessing
[en] Land use
[en] Remote sensing
[en] Serra geral
[en] Sustainability
[en] Tainhas
Resumo A Mata Atlântica é um dos ecossistemas mais ameaçados do planeta, estando hoje reduzida a menos de 8% de sua extensão original, segundo dados desenvolvidos pela Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Este bioma, considerado um dos ecossistemas com maior biodiversidade do mundo, está parcialmente protegido em algumas unidades de conservação ao longo da costa brasileira. Este trabalho visa discutir alguns dos conflitos existentes entre a política de conservação e a preservação da Mata Atlântica no entorno de três unidades de conservação estaduais no Rio Grande do Sul: Reserva Biológica Estadual da Serra Geral, Estação Ecológica Estadual Aratinga e Parque Estadual do Tainhas. Através de ferramentas do sensoriamento remoto e geoprocessamento, foi elaborada uma classificação da cobertura vegetal e dos diferentes tipos de uso da terra, utilizando imagens de satélite, fotografias aéreas de pequeno formato, trabalhos de campo e análises espaciais. O mapeamento de uso e cobertura da terra abrangeu uma área total de 350.137,68 ha, gerando 36 classes divididas em três categorias: cobertura vegetal, uso da terra e hidrografia. A cobertura vegetal totalizou 259.197,71 ha., representando 74,03% da área de estudo, o uso da terra 75.661,35 ha, com 21,61% e a hidrografia 15.278,61 ha com 4,38%. Nas análises foram geradas informações de distância e densidade dos fragmentos, além de classes de declividade e características do entorno das unidades de conservação. Foi elaborada então uma análise de multicritérios, que indicou as áreas com maiores conflitos socioambientais, e áreas com potencial de conservação. Os resultados permitiram analisar e sugerir alterações na política de conservação das unidades existentes. As áreas estudadas mostraram um alto potencial para práticas de uso associadas à conservação dos recursos naturais. O extrativismo da samambaiapreta (Rumohra adiantiformis) e o turismo ecológico são bons exemplos desta potencialidade. Neste sentido a estratégia de planejamento e a gestão biorregional seria fundamental para contemplar os interesses das populações locais, de uma forma mais sustentável e organizada.
Abstract The Atlantic rainforest is one of the most endangered ecosystems of the world, with only 8% of its original area remaining today, according to data from the SOS Mata Atlântica Foundation and the National Institute for Space Research (INPE). This biome, one of the world’s richest in biodiversity, is partially protected in a few conservation units along the Brazilian coast. The objective of the present work is to discuss some of the conflicts between conservation policy and the preservation of the Atlantic Forest around three conservation units in the State of Rio Grande do Sul: Serra Geral Biological Reserve, Aratinga Ecological Station e State Park of Tainhas. Using remote sensing and geoprocessing tools, a vegetation cover and land use map classification was produced using satellite imagery, aerial photographs, field work and spatial analysis. The total extent of the land use map was 350.137,68 ha, with 36 classes divided in three categories: vegetation cover, land use, and hydrography. Total vegetation cover was 259.197,71 ha (74,03% of the studied area), total land use area was 75.661,35 ha (21,61%) and hidrography was 15.278,61 ha (4,38% of the total area). The spatial analyses produced data on distance and density of forest fragments, slope classes, and characteristics around the conservation units. A multicriteria analysis indicated the area with the highest degree of socio-environmental conflicts and the areas that are potentially interesting for conservation. The results provided the basis for the suggestion of shifts in the present policy for protected areas. The studied region presents a high potential for land use practices associated with natural resource conservation. Extractivism of a native fern, called samambaia-preta (Rumohra adiantiformis), and ecoturism are examples of such potential activities. Bioregional planning and management would be a fundamental approach for taking into account the interests of the local populations in a more sustainable and organized way.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/15348
Arquivos Descrição Formato
000677700.pdf (14.69Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.