Repositório Digital

A- A A+

Comparativo dos dados da sífilis na gestação e sífilis neonatal informada no sisprenatal, SINAN e AIH, no município de Porto Alegre 2000 a 2004

.

Comparativo dos dados da sífilis na gestação e sífilis neonatal informada no sisprenatal, SINAN e AIH, no município de Porto Alegre 2000 a 2004

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Comparativo dos dados da sífilis na gestação e sífilis neonatal informada no sisprenatal, SINAN e AIH, no município de Porto Alegre 2000 a 2004
Autor Gonçalves, Claudia Feldmann
Orientador Bordin, Ronaldo
Data 2008
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Especialização em Saúde Pública.
Assunto Porto Alegre (RS)
Saúde pública
Sífilis
Resumo A sífilis na gestação e congênita é um importante indicador da qualidade do prénatal. Mesmo sendo uma doença de mais de cinco séculos, agente etiológico conhecido, com diagnóstico fácil e tratamento de baixíssimo custo, ainda possui uma prevalência de 1,6%, no Brasil, resultando em 12 mil nascidos vivos com sífilis congênita. Fatores de risco como baixas condições sócio-econômicas, baixa escolaridade, promiscuidade sexual e pouca qualidade da assistência pré-natal estão presentes nesta doença. Este estudo compara o número de casos de sífilis na gestação e de sífilis congênita existentes nos Sistemas de Informação em Pré- Natal, de Agravos de Notificação e de Autorização de Internações Hospitalares, no município de Porto Alegre, no qüinqüênio 2000 a 2004. Neste período observou-se aumento do número de consultas de pré-natal por nascimento (65,8% dos nascimentos tiveram sete consultas ou mais de pré-natal em 2004), uma melhora nos registros (94,4% de casos notificados confirmados em 2004), com incidência de sífilis variando entre 0,27% em 2000 a 0,49% em 2001. Conclusão: Este trabalho demostrou a importância da realização de medidas integradas dos profissionais de saúde, como adequada assistência ao pré-natal, diagnosticando e tratando precocemente as gestantes e recém-nascidos. As notificações compulsórias devem ser realizadas e qualificadas a fim de permitir uma análise fidedigna dos dados pela vigilância epidemiológica.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/15413
Arquivos Descrição Formato
000678042.pdf (160.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.