Repositório Digital

A- A A+

Mensuração do volume de perfusão pulmonar obtido por SPECT em uma amostra de pacientes com DPOC, pacientes com distúrbio ventilatório restritivo e voluntários saudáveis

.

Mensuração do volume de perfusão pulmonar obtido por SPECT em uma amostra de pacientes com DPOC, pacientes com distúrbio ventilatório restritivo e voluntários saudáveis

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mensuração do volume de perfusão pulmonar obtido por SPECT em uma amostra de pacientes com DPOC, pacientes com distúrbio ventilatório restritivo e voluntários saudáveis
Autor Masiero, Paulo Ricardo
Orientador Menna Barreto, Sérgio Saldanha
Data 2009
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Doença pulmonar obstrutiva crônica
Relação ventilação-perfusão
Tomografia computadorizada de emissão de fóton único
Volume de ventilação pulmonar
Resumo Objetivos Os volumes pulmonares podem ser mensurados através de várias técnicas de imagem, inclusive por SPECT. O objetivo principal deste estudo é comparar o volume de perfusão pulmonar (VPP) mensurado por SPECT perfusional em pacientes com DPOC, pacientes com doença pulmonar restritiva e em voluntários saudáveis. Também pretendemos comparar a técnica de detecção do contorno pulmonar proposta (média+1,5DP) com um algoritmo previamente relatado. Métodos Foram realizados prospectivamente SPECT de perfusão pulmonar, pletismografia de corpo-inteiro e espirometria em pacientes com DPOC (n = 9), pacientes com doença pulmonar restritiva (n = 9) e em voluntários saudáveis (n = 10). A técnica de detecção do contorno pulmonar foi avaliada de forma subjetiva (escore visual) por três examinadores cegados para o método de segmentação. Resultados O VPP foi significativamente diferente entre os grupos. O VPP foi de 3,83 (0,44) litros no grupo com DPOC, 2,33 (0,26) litros nos pacientes com doença pulmonar restritiva e 3,20 (0,73) litros nos voluntários saudáveis (ANOVA, P < 0,001). O volume de perfusão pulmonar (VPP) mostrou correlação com a capacidade residual funcional (r = 0,87, P<0,001), capacidade pulmonar total (r = 0,87, P < 0,001) e volume residual (r = 0,68, P < 0,001). Apesar de não significativo estatisticamente, a técnica média+1,5DP foi melhor na avaliação subjetiva (visual) do que a técnica utilizada previamente. Conclusões O volume de perfusão pulmonar foi capaz de detectar a diferença de volume pulmonar entre os grupos em estudo. Houve correlação com os volumes pulmonares estáticos mensurados pela pletismografia de corpo inteiro. A técnica de segmentação proposta, média+1,5DP, aparenta funcionar melhor do que a técnica de segmentação previamente descrita.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/15459
Arquivos Descrição Formato
000682459.pdf (535.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.