Repositório Digital

A- A A+

Efeito da curva de refrigeração na qualidade do sêmen canino

.

Efeito da curva de refrigeração na qualidade do sêmen canino

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito da curva de refrigeração na qualidade do sêmen canino
Outro título Effects of refrigeration curve on canine semen quality
Autor Neuls, Mariana Gobbato
Orientador Gregory, Ricardo Macedo
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.
Assunto Inseminacao artificial animal : Caes
Sêmen : Resfriamento
[en] Artificial insemination
[en] Chilled semen
[en] Cooling rates
[en] Dogs
Resumo A inseminação artificial em caninos representa uma atividade importante no manejo reprodutivo desta espécie. O uso de sêmen resfriado, preservado por um determinado espaço de tempo, com a conservação da viabilidade espermática torna-se indispensável. Para a preservação a 4ºC torna-se necessário o conhecimento de curvas de resfriamento mais adequadas para um determinado diluente a ser utilizado. No presente experimento foram utilizados 11 cães adultos, dos quais foram colhidos 5 ejaculados de cada e que após exame imediato avaliando aspecto, volume, motilidade, vigor, concentração, HOST (teste hiposmótico), IME (integridade de membrana) e formas patológicas, foram submetidos a diluição com tris-gema. Após a diluição os ejaculados foram novamente avaliados quanto à motilidade, vigor, HOST e IME. Foram iniciados dois procedimentos de refrigeração dos ejaculados fracionados, um a uma velocidade de -0,1ºC/minuto e outro a -0,3ºC/minuto. Vinte quatro e quarenta e oito horas após foram avaliados motilidade e vigor nas duas amostras. Os exames de HOST e IME foram realizados após quarenta e oito horas de resfriamento. Diferenças quanto à qualidade do sêmen dos diferentes cães foram encontradas. Quanto as diferentes velocidade de resfriamento não foram observadas diferenças. Foram constatadas diferenças na qualidade do sêmen recém diluído e após o resfriamento, porém a qualidade do sêmen se manteve inalterada entre vinte e quatro e quarenta e oito horas após o resfriamento.
Abstract The artificial insemination in canines represents an important activity in reproductive management of this species. The use of chilled semen, preserved for a determined amount of time, with conserved spermatic viability has become a necessity. For the preservation at 4o C it has become necessary to know the most adequate chilling curve for the chosen extender. In this experiment, 11 adult dogs were used, who each contributed 5 ejaculates which were immediately examined for volume, motility, vigor, concentration, HOST (hyposmotic test), IME (membrane integrity) and pathological forms, and then diluted with tris-egg yolk. The ejaculates were mixed with extender then evaluated for motility, vigor, HOST and IME. Two cooling procedures were started on the fractionate ejaculates, one at a velocity of -0.1oC per minute and the other at -0.3oC per minute. Twenty-four and fortyeight hours later the two samples were evaluated for motility and vigor. The HOST and IME exams were performed forty-eight hours after chilling. Differences in semen quality were found between the different dogs. There were no differences with the two cooling rates. Differences were found in semen quality right after dilution and after the colling process; however semen quality shows no difference between twenty-four and forty-eight hours after chilling.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/15576
Arquivos Descrição Formato
000688094.pdf (140.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.