Repositório Digital

A- A A+

Cárie dentária em municípios com e sem flúor na água de abastecimento público

.

Cárie dentária em municípios com e sem flúor na água de abastecimento público

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Cárie dentária em municípios com e sem flúor na água de abastecimento público
Autor Milão, Raphaela Selbach
Orientador Abegg, Claídes
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Odontologia. Curso de Odontologia.
Assunto Cárie dentária
Fluoretação
[en] DMFT
[en] Public health
[en] Schoolchildren
[en] Tooth decay
[en] Water fluoridation
Resumo Introdução: a fluoretação da água de abastecimento público é considerada uma variável importante no controle e progressão da cárie dentária. Estudos têm demonstrado que a prevalência da cárie e o nível de CPOD médio aos 12 anos é menor em crianças de municípios com água fluoretada comparada com as de municípios sem água fluoretada. O objetivo do estudo é descrever a prevalência da cárie e média de CPOD em escolares de 12 anos residentes em cidades com e sem flúor na água de abastecimento público. Metodologia: Os dados foram coletados nas escolas por intermédio de um questionário estruturado e exame clínico, utilizando-se critérios da OMS e do SB Brasil 2010. Este estudo integra a pesquisa “Impacto da Estratégia de Saúde da Família no Perfil Epidemiológico de Saúde Bucal no RS”, registrada no COCEP/UFRGS sob o nº 15310. Financiamento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), edital PPSUS, processo 09/066-6. Resultados: a prevalência de cárie dentária encontrada no presente estudo foi de 53,5% e o CPOD médio foi de 1,51. Entre os escolares que viviam em cidades com água fluoretada a prevalência de cárie foi de 51,3% e o valor do CPOD médio foi de 1,42, comparado com uma prevalência de cárie de 64,3% e CPOD médio de 1,9 daqueles que viviam em cidades sem flúor na água. Em cidades com fluoretação da água, os componentes do índice CPOD apresentaram médias diferentes- média de 0,65 para o componente cariado; média 0,07 para o perdido e 1,15 para o obturado- daquelas apresentadas em cidades sem a adição do flúor; média 0,62 para o componente cariado; 0,1 para o perdido e 0,73 para o obturado. Conclusão: a prevalência de cárie dentária e o CPOD médio foram maiores em escolares residentes em cidades que não fluoretavam a água de abastecimento público e o componente cariado do CPOD médio, também apresentou valor mais alto em cidades sem a medida de saúde pública.
Abstract Fluoridation of public supply water is considered an important variable in the control and progression of dental caries. Studies have shown that the prevalence of caries and the average CPOD level at 12 years is lower in children from municipalities with fluoridated water compared to municipalities without fluoridated water. The objective of the study is to describe the prevalence of caries and mean COPD in 12-year-old students living in cities with and without fluoride in public water supply. Data were collected in schools through a structured questionnaire and clinical examination, using WHO and SB Brasil 2010 criteria. This study integrates the research "Impact of the Family Health Strategy on the Epidemiological Profile of Oral Health in RS", Registered at COCEP / UFRGS under no. 15310. Funding: Foundation for Research Support of the State of Rio Grande do Sul (FAPERGS), PPSUS edict, process 09 / 066-6. Results: the prevalence of dental caries and mean DMFT found in the present study was 53.5% of 1.51 respectively. Among schoolchildren living in cities with fluoridated water, the prevalence of dental caries was 51.3% and mean DMFT value was 1.42, compared to an estimate of 64.3% prevalence of caries and mean DMFT of 1.9 of those living in cities without fluoridated water. In cities with water fluoridation, the components of the DMFT index presented different means, mean 0.65 for the carious component; mean 0.07 for the missing component and 1.15 for the filled component, than those of cities without the addition of fluoride; mean 0.62 for carious component; 0.1 for the lost and 0.73 for the filled. Conclusion: The prevalence of dental caries and mean DMFT were higher in schoolchildren living in cities without fluoridated public water supply. In addition, the decayed component of DMFT was also higher in cities without this public health measure.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/156760
Arquivos Descrição Formato
001016206.pdf (690.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.