Repositório Digital

A- A A+

Funk Ostentação : narrativas, experiências e performances

.

Funk Ostentação : narrativas, experiências e performances

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Funk Ostentação : narrativas, experiências e performances
Autor Gonçalves, Murilo Gealin
Orientador Damo, Arlei Sander
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de Ciências Sociais: Licenciatura.
Assunto Antropologia do consumo
Estudo etnográfico
Funk
Periferia
Rap
[en] Consumption
[en] Periphery
[en] School
Resumo O presente trabalho é fruto de uma pesquisa que se iniciou a partir de indagações surgidas enquanto bolsista de iniciação à docência da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no subprojeto Ciências Sociais. O retorno à escola foi marcado pelo estranhamento acerca do ambiente. A principal questão observável, percebida por mim e reforçada por colegas, era a presença e o culto a marcas: O sujeito discente com quem lidávamos era um ávido consumidor de bens de marca, principalmente roupas e acessórios. Ao longo das atividades ficou evidente, por conta de fatos ocorridos também fora do ambiente escolar, que o que se via dentro dos limites da escola tinha conexão com algo maior, que se manifestava nas ruas, em festas, em shoppings. O nosso sujeito discente expressava uma mudança na cultura juvenil de periferia, batizada então de “funk ostentação”. A proposta da pesquisa é de entender por quê esse desejo por bens de marca; como o funk ostentação se configura, e; como as mudanças nos planos político e econômico vividos nas últimas décadas influenciaram na maneira que os jovens vivem e veem o mundo. Para isso, me utilizei de observação in loco, considerando material prévio proveniente das atividades de extensão e dos Estágios Obrigatórios, mas também de observações durante a pesquisa; pesquisa bibliográfica sobre o tema principal e materiais tangentes; análise e interpretação de músicas. A pesquisa parte de uma abordagem antropológica, focando-se na Antropologia do Consumo e no Estruturalismo Simbólico como inspiração.
Abstract The present work is the result of a research that began from inquiries that emerged as a scholarship of teaching initiation of the Federal University of Rio Grande do Sul, in the Social Sciences subproject. The return to school was marked by the strangeness about the environment. The main observable question, perceived by me and reinforced by colleagues, was the presence and the cult of brands: The student subject we dealt with was an avid consumer of branded goods, especially clothes and accessories. Throughout the activities it was evident, due to facts that occurred outside the school environment, that what was seen within the limits of the school had connection with something greater, that was manifested in the streets, at parties, in malls. Our student subject expressed a change in the youth culture of the periphery, baptized then of "funk ostentação". The research proposal is to understand why this desire for branded goods; How the funk ostentação is set, and; How the changes in the political and economic plans experienced in the last decades have influenced the way young people live and see the world. For that, I used on-site observation, considering previous material from extension activities and Mandatory Interships, but also from observations during the research; Bibliographic research on the main theme and tangent themes; Analysis and interpretation of music. The research starts from an anthropological approach, focusing on the Anthropology of Consumption and Symbolic Structuralism as inspiration.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/157021
Arquivos Descrição Formato
001017335.pdf (1.070Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.