Repositório Digital

A- A A+

Investigação dos efeitos de dois níveis de pressão expiratória positiva nas vias aéreas sobre a dispneia, hiperinsuflação pulmonar dinâmica e tolerância ao exercício em portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

.

Investigação dos efeitos de dois níveis de pressão expiratória positiva nas vias aéreas sobre a dispneia, hiperinsuflação pulmonar dinâmica e tolerância ao exercício em portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Investigação dos efeitos de dois níveis de pressão expiratória positiva nas vias aéreas sobre a dispneia, hiperinsuflação pulmonar dinâmica e tolerância ao exercício em portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Autor Gass, Ricardo
Orientador Berton, Danilo Cortozi
Data 2017
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas.
Assunto Capacidade inspiratória
Dispnéia
Doença pulmonar obstrutiva crônica
Respiração com pressão positiva
Tolerância ao exercício
[en] Chronic obstructive pulmonary disease
[en] Dyspnea
[en] Exercise
[en] Inspiratory capacity
Resumo Introdução: A aplicação da pressão positiva expiratória (EPAP) em pacientes com DPOC durante o exercício pode reduzir a hiperinflação dinâmica (HD) e consequentemente a dispneia, enquanto, por outro lado, pode aumentar o trabalho resistivo da respiração. O objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos de duas intensidades de EPAP sobre a capacidade inspiratória, dispneia e tolerância ao exercício em pacientes com DPOC moderada a muito grave. Métodos: Estudo transversal, experimental, de 4 visitas. Na visita 1, os participantes realizaram um teste de exercício cardiopulmonar incremental limitados por sintomas (TECP). Nas visitas 2-4, com pelo menos 48 horas de intervalo, em ordem aleatória, eles realizaram TECP com carga constante (TECPct; 75% da carga de pico) sem EPAP, EPAP com 5cmH2O (EPAP5), ou EPAP com 10cmH2O (EPAP10). Resultados: O estudo incluiu 15 participantes não hipoxêmicos com DPOC moderada a muito grave (média de VEF1= 35,3 ± 10,9% do previsto). As intensidades sucessivas de EPAP durante o TECPct tenderam a causar uma redução progressiva da tolerância ao exercício (p=0,11). Destaca-se que 10 dos 15 pacientes apresentaram menor duração de exercício quando o EPAP10 foi comparado ao teste sem EPAP (-151 ± 105s, p <0,01 ou -41 ± 26%). Além disso, observou-se com EPAP (p <0,05) uma redução significativa da ventilação minuto, as custas de uma restrição na expansão do volume corrente. Por fim, a sensação de dispneia e medidas seriadas da capacidade inspiratória durante o exercício não foram diferentes entre as três intervenções. Conclusão: Níveis progressivos de EPAP durante o exercício tendem a causar uma redução progressiva na tolerância ao exercício em pacientes com DPOC sem melhora na dispneia e HD.
Abstract Introduction: The application of expiratory positive aiway pressure (EPAP) in COPD patients during exercise may reduce dynamic hyperinflation (DH), and consequently dyspnea, while, on the other hand, can increase the resistive work of breathing. Therefore, the objective of the current study was to evaluate the effects of two intensities of EPAP on inspiratory capacity, dyspnea and exercise tolerance in patients with moderate to very-severe COPD. Methods: Cross-sectional, experimental, 4-visit study. In the Visit 1, participants performed symptom-limited cycling incremental cardiopulmonary exercise test (CPET). In Visits 2-4, at least 48hrs apart, in a randomized order, they performed constant CPET (ctCPET) without EPAP, EPAP with 5cmH2O (EPAP5), or EPAP with 10cmH2O (EPAP10). Results: The study included 15 non-hypoxemic subjects ranging from moderate-to-very-severe COPD (mean FEV1=35.3 ± 10.9% of predicted). Successive intensities of EPAP during ctCPET tended to cause a progressive reduction in exercise tolerance (p=0.11). Of note, 10 of 15 presented shorter exercise duration when EPAP10 was compared to the test without EPAP (-151±105s, p<0.01 or -41±26%). Moreover, significant constraint to minute-ventilation, at expenses of limited tidal volume expansion, was observed with EPAP (p<0.05). Finally, dyspnea sensation and IC measurements were similar during exercise among the interventions. Conclusion: Progressive levels of EPAP during exercise tented to cause a progressive reduction in exercise tolerance in COPD patients without improvement in exercise dyspnea and DH.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/159082
Arquivos Descrição Formato
001022563.pdf (980.3Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.