Repositório Digital

A- A A+

Atenção primária na saúde suplementar : perspectivas de implantação no segmento privado

.

Atenção primária na saúde suplementar : perspectivas de implantação no segmento privado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Atenção primária na saúde suplementar : perspectivas de implantação no segmento privado
Autor Zielinski, Mariana Mutti
Orientador Possa, Lisiane Bôer
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Saúde Coletiva: Bacharelado.
Assunto Atenção primária à saúde
Saúde suplementar
Resumo O modelo hegemônico de atenção à saúde têm se mostrado incapaz de abarcar a complexidade da coordenação do cuidado e da prevenção e promoção em saúde na Saúde Suplementar. O objetivo desse trabalho é descrever os atributos e diretrizes da atenção básica e analisar a possibilidade de aplicação dos mesmos no mercado privado. Os conceitos utilizados abordam temas como modelos assistenciais, atributos da atenção primária e regras da Agência Nacional de Saúde. O trabalho propôs a verificação de impeditivos legais quanto à aplicação da Atenção Primária em Saúde (APS) nas operadoras de saúde. Conclui-se com o estudo que há viabilidade para a modelagem da APS, e, portanto, seus atributos, na Saúde Suplementar, sendo que os impeditivos são mínimos para sua implantação. O que se percebeu, porém, foi a grande dificuldade de adaptação ao mercado privado deste tipo de atenção, cujos clientes e prestadores de serviço ainda mantém arraigado o conceito de livre demanda como melhor forma de “consumir” o produto que compram, em detrimento da lógica da APS de porta de entrada e coordenação do cuidado, os quais consideram produtos inferiores ao anterior. A Agência Nacional de Saúde, que regula a saúde suplementar no país, muito longe de ser a entidade que projeta obstáculos para a implantação da APS na saúde suplementar, tem ocupado posição de entidade indutora de regras que, em alguns casos voluntariamente e em outros compulsoriamente, implicam às operadoras à pensar em novos modelos de assistência, bem como implantação de programas de promoção e prevenção em saúde.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/159119
Arquivos Descrição Formato
001017006.pdf (93.90Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.