Repositório Digital

A- A A+

Resiliência, estresse ocupacional, capacidade para o trabalho e presenteísmo em militares do Exército Brasileiro atuantes em uma corporação do Rio Grande do Sul

.

Resiliência, estresse ocupacional, capacidade para o trabalho e presenteísmo em militares do Exército Brasileiro atuantes em uma corporação do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Resiliência, estresse ocupacional, capacidade para o trabalho e presenteísmo em militares do Exército Brasileiro atuantes em uma corporação do Rio Grande do Sul
Outro título Resilience, occupational stress, work ability and presenteeism in brazilian army’ staff from a corporation of Rio Grande do Sul
Autor Umann, Juliane
Orientador Lautert, Liana
Data 2017
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Estresse psicológico
Militares
Resiliência psicológica
Saúde do trabalhador
[en] Military personnel
[en] Nursing
[en] Occupational health
[en] Resilience psychological
[en] Stress psychological
Resumo Conflitos étnico culturais, circunstâncias sócio-político-econômicas, eventos catastróficos ambientais e o terrorismo permeiam o cenário mundial e justificam a atenção que tem sido destinada pela comunidade científica à população de militares. Esses profissionais convivem sob uma dinâmica e cultura laborativa peculiar, em que a relação demanda de trabalho-alterações de saúde pode ser distinta daquela verificada em outras populações, especialmente devido à promoção de comportamentos resilientes. Objetivou-se avaliar a validade dos instrumentos psicométricos junto a militares do exército; determinar os níveis de resiliência, estresse, capacidade para o trabalho e presenteísmo em militares do exército brasileiro; e analisar as relações de dependência entre resiliência, estresse ocupacional, capacidade para o trabalho e presenteísmo em militares do Exército Brasileiro. Trata-se de uma pesquisa transversal, analítica e de abordagem quantitativa realizada com a população de militares (n=250) atuantes em uma organização militar do Exército Brasileiro situada no interior do Rio Grande do Sul. O protocolo de pesquisa constou por formulário para caracterização sociodemográfica e funcional; Escala de Estresse no Trabalho; Escala de Resiliência de Connor-Davidson; Questionário de limitações no trabalho e Índice de Capacidade para o Trabalho. A validação dos constructos foi procedida pela análise fatorial confirmatória e a modelagem de equações estruturais foi aplicada para compreender as relações de dependência entre as variáveis. Adotou-se nível de significância de 5% e índices de qualidade de ajuste (absolutos e incrementais) e de má qualidade de ajuste (resíduos) para avaliar o modelo proposto. Foram atendidos preceitos éticos conforme Resolução CNS 466/12. Verificou-se estrutura fatorial satisfatória para a explicação dos fenômenos desta investigação, não sendo alterado nenhum dos modelos originais dos instrumentos. Obteve-se predomínio de baixo estresse (58,3%), boa (49,10%) capacidade para o trabalho e alta resiliência (28,1%) e índice de presenteísmo dos militares foi de até 7,83%. O modelo estrutural hipotetizado apresentou índices de qualidade de ajuste e resíduos satisfatórios, sendo 19,3% do presenteísmo explicado pelas variáveis latentes e a capacidade para o trabalho por 35,7% delas. Observou-se que o estresse ocupacional aumenta os níveis de presenteísmo (β=-0,35) e diminui a capacidade para o trabalho (β=-4,30). Já a resiliência minimiza os níveis de estresse (β=-0,30) e presenteísmo (β=0,37); e aumenta a capacidade para o trabalho (β=1,71). Além disso, o aumento da capacidade para o trabalho implica menor presenteísmo e vice-versa (β=0,98; p<0,001). Observou-se que a capacidade para o trabalho minimiza o efeito do estresse no presenteísmo (β= -4,17). Ainda, a resiliência modera a relação entre estresse e capacidade para o trabalho (p<0,01), de forma que indivíduos resilientes sofrem menor efeito do estresse ocupacional sobre sua capacidade para o trabalho. A análise e aplicação de programas de treinamento da personalidade resiliente em instituições militares brasileiras deve ser promovida a fim de aprimorar a capacidade para o trabalho e o desempenho dos profissionais, o que irá fortalecer a efetividade da segurança nacional.
Abstract Ethnic-cultural conflicts; social, political and economic circumstances; catastrophic events from natural disasters; and terrorism are present in the world stage and justify the attention that has been given for scientific community to the military staff. These professionals live under a peculiar work dynamic and culture, in which the relation between work demand and health conditions may be different from that verified in other samples, specially due to the promotion of resilient behaviors. We aimed to assess the validity of psychometric instruments for military staff; to determine the levels of resilience, stress, work ability and presenteeism in Brazilian military staff; and to analyze the relations of dependence among resilience, occupational stress, work ability and presenteeism in Brazilian military staff. It's a cross-sectional, analytic and quantitative research conducted with soldiers (n=250) from a military unit of the Brazilian army that is located in the center of Rio Grande do Sul. The research protocol contained a form to sociodemographic and functional characterization; the Work Stress Scale; the Connor-Davidson Resiliency Scale; the Work Limitation Questionnaire and the Work Ability Index. We applied the confirmatory factorial analysis to assess the constructs validity and the structural equation modeling to identify the dependence relations among the variables. With a 5% significance level, the fitness (absolutes and incremental) and unfitness (residuals) indexes were applied to assess the hypothetic model. Ethical issues were respected according to the resolution CNS 466/12. We verified a satisfactory factorial structure to explain the phenomena of this investigation, and all original models of the instruments were not changed. There was a predominance of low stress (58.3%), good work ability (49.10%) and high resilience (28.1%). Soldiers had a presenteeism index of until 7,83%. The hypothetic model showed satisfactory fitness and residues indexes, being that latent variables explained 19.3% of presenteeism and 35.7% of work ability. We observed that occupational stress increased the levels of presenteeism(β=-0.35) and decreases the work ability (β=-4.30). On other hand, resilience decreases the stress levels (β=-0,30) and presenteeism (β=0.37); and increases the work ability (β=1.71). Additionally, the higher work ability, the lower presenteeism and vice-versa (β=0.98; p<0.001). The work ability buffers the negative effect from stress on presenteeism (β= -4.17). Also, resilience moderates the relationship between stress and work ability (p<0.01) what means that resilient individuals suffer lower effect of occupational stress on their work ability. The assessment and application of programs for training resilient skills in Brazilian army institutions should be promoted in order to improve the work ability and the performance of soldiers, what will strength the national security effectivity.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/159519
Arquivos Descrição Formato
001024048.pdf (3.581Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.