Repositório Digital

A- A A+

Avaliação do risco geotécnico de taludes: revisão de práticas nacionais e internacionais

.

Avaliação do risco geotécnico de taludes: revisão de práticas nacionais e internacionais

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação do risco geotécnico de taludes: revisão de práticas nacionais e internacionais
Autor Silva, Juliana Koltermann da
Orientador Bressani, Luiz Antonio
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo Este trabalho discute as diversas metodologias e práticas existentes no Brasil e em países estrangeiros sobre Avaliação de Riscos Geotécnicos de Taludes, com ênfase em taludes rodoviários. Primeiramente, abordaram-se os diferentes tipos de movimentos de massa aos quais taludes naturais e projetados são suscetíveis, com uma atenção especial aos fatores preparatórios, aos elementos desencadeadores de deslizamentos e aos indicadores visuais de movimentação. Após, apresentaram-se os conceitos e a terminologia envolvida no âmbito de gerenciamento de risco de deslizamentos, com o objetivo de uniformizar a interpretação dos conceitos utilizados no decorrer do trabalho, juntamente com o framework utilizado para padronizar as apresentações e a posterior análise das metodologias pesquisadas. Na primeira parte do trabalho, expuseram-se duas metodologias brasileiras para avaliação de risco geotécnico de taludes, uma com abordagem qualitativa, publicada pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, e outra de cunho quantitativo, proposta por Costa (2005). Na segunda parte do trabalho, detalhou-se a metodologia apresentada por Fell et al. (2005), que oferece métodos para realizar análises de risco geotécnico, tanto qualitativamente quanto quantitativamente. Para facilitar o entendimento da aplicação dessa metodologia, exibiu-se um exemplo de avaliação de risco de deslizamentos em um aterro rodoviário hipotético e apresentaram-se adaptações da mesma para casos de estudos reais no Canadá, no Nepal e na Austrália. Constatou-se que, apesar da relativa facilidade em se executar análises qualitativas de risco geotécnico, essas não são recomendadas, especialmente quando avaliam riscos a pessoas. Isso se deve ao grande teor de subjetividade dos descritores qualitativos utilizados para a estimativa do risco. Concluiu-se que as abordagens puramente qualitativas podem levar a um mau entendimento dos fatores que compõem o risco e, por isso, descritores numéricos relacionados aos Fatores de Segurança dos taludes podem tornar-se uma alternativa para a melhor compreensão do risco geotécnico nos projetos brasileiros. De fato, os Fatores de Segurança dos taludes já são relacionados aos níveis de segurança desejados em projetos, através da NBR 11.682 (2009). Uma abordagem qualitativa, de cunho numérico, apresenta-se no momento como uma opção para evitar a caracterização do risco geotécnico como alto, médio ou baixo, propiciando uma melhor compreensão do risco existente em taludes entre a sociedade e os profissionais geotécnicos brasileiros.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/159579
Arquivos Descrição Formato
001019413.pdf (13.03Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.