Repositório Digital

A- A A+

Análise da sobrevida e fatores associados à mortalidade em pacientes hipoxêmicos portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica do programa de oxigenoterapia domiciliar prolongada do Hospital Nossa Senhora da Conceição

.

Análise da sobrevida e fatores associados à mortalidade em pacientes hipoxêmicos portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica do programa de oxigenoterapia domiciliar prolongada do Hospital Nossa Senhora da Conceição

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise da sobrevida e fatores associados à mortalidade em pacientes hipoxêmicos portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica do programa de oxigenoterapia domiciliar prolongada do Hospital Nossa Senhora da Conceição
Autor Leite, Maurício Mello Roux
Orientador Knorst, Marli Maria
Data 2005
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas.
Assunto Avaliação de resultados (cuidados de saúde)
Doença pulmonar obstrutiva crônica
Oxigenoterapia
Taxa de sobrevida
Resumo A oxigenoterapia domiciliar prolongada (ODP) aumenta a sobrevida em pacientes hipoxêmicos com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Este estudo foi realizado para determinar o tempo de sobrevida e detectar os fatores associados com a sobrevida em pacientes com DPOC em ODP. Foram estudados 158 pacientes consecutivos, hipoxêmicos com DPOC (95 mulheres e 63 homens, com média de idade de 65 ± 11 anos), admitidos em um programa de ODP em um hospital geral. A prescrição de oxigênio variou de 16 a 24 horas ao dia. O impacto da ODP no número e duração das hospitalizações foi analisado comparando-se as internações dos pacientes com pelo menos um ano de acompanhamento com as que ocorreram no ano anterior ao início da ODP. A ODP reduziu o tempo de internação (28,29 ± 25,92 dias versus 17,04 ± 21,91 dias; p< 0,001), mas não o número de hospitalizações. No momento da análise, 82 pacientes faleceram e 76 pacientes estavam vivos. A maioria dos óbitos que ocorreram no HNSC foi por infecção respiratória. O acompanhamento médio foi de 2,8 anos, com sobrevida mediana de 2,1 anos. A taxa de sobrevida em 2 anos foi de 50,2% e em 5 anos de 20,5%. Em análise univariada, a corticoterapia oral de manutenção e o índice de massa corporal (IMC) foram os maiores preditores de sobrevida (usuários de corticóide oral e pacientes com IMC ≤ 18,5 kg/m2 apresentaram menor sobrevida). Sexo, PaCO2, hematrócrito, achados eletrocardiográficos e ecocardiográficos não alteraram significativamente a sobrevida. Utilizando análise múltipla, os fatores prognósticos foram a idade, a hipoxemia, o IMC reduzido e o uso de corticoterapia oral. Em conclusão, a maioria dos óbitos de pacientes hipoxêmicos com DPOC no HNSC esteve associada à infecção respiratória. Este estudo identificou a idade, a hipoxemia, a depleção nutricional e a corticoterapia oral de manutenção como fatores de risco para pacientes com DPOC em ODP. A ODP reduziu o tempo de internação mas não o número de internações em pacientes hipoxêmicos com DPOC.
Abstract Long-term oxygen therapy (LTOT) improves survival in patients with hypoxemic chronic obstructive pulmonary disease (COPD). This study was performed to determine survival time and to detect factors associated with survival in patients with COPD in LTOT. We studied 158 consecutive hypoxemic COPD patients (95 women, 63 men; age 65 ± 11 years), included in a LTOT program of a general hospital. Current prescription of LTOT was 16-24 h/day. The impact of LTOT on number and duration of hospitalizations was studied comparing hospitalizations of patients with follow-up of at least one year with the hospitalizations that occurred in the year before these patients received LTOT. LTOT reduced the length (28.29 ± 25.92 days vs. 17.04 ± 21.92 days; p< 0.001) but did not change the number of hospitalizations. At the date of analysis 82 patients had died and 76 patients were alive. Mean follow-up duration was 2.8 years, and overall median survival was 2.1 years. Respiratory infection was the cause of death of most COPD patients in LTOT that died at HNSC. The 2-year survival rate was 50.2% and the 5-year survival rate was 20.5%. In a univariate study, treatment with oral corticosteroid and body mass index (BMI) were the most powerful predictors of survival (patients taking oral corticosteroid and patients with BMI < 18,5 kg/m2 had lower survival time). Gender, PaCO2, hematrocrit, electrocardiographic and heart ultrasonographic findings did not change significantly survival. Using a multivariate analysis, the prognostic factors remaining besides age were hypoxemia, low BMI and therapy with oral corticosteroid. This study showed that age, hypoxemia, nutritional depletion and systemic corticosteroid therapy are risk factors for COPD patients treated with LTOT. LTOT decreased significantly the length of hospitalizations but did not change the frequency of hospitalizations in hypoxemic COPD patients.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/159604
Arquivos Descrição Formato
001023987.pdf (341.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.