Repositório Digital

A- A A+

Fatores relacionados ao tabagismo na gestação

.

Fatores relacionados ao tabagismo na gestação

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Fatores relacionados ao tabagismo na gestação
Autor Motta, Giordana de Cássia Pinheiro da
Orientador Echer, Isabel Cristina
Data 2008
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Feto : Cuidado
Gravidez
Gravidez
Mulher : Fumo
Puérpera : Cuidados
Tabagismo : Gestação
Resumo O tabagismo é um problema de saúde pública, sendo considerado como a principal causa de morte evitável no mundo. Apesar dos conhecidos malefícios do tabaco para o binômio mãebebê é grande o número de gestantes que continua fumando ou sendo expostas ao tabagismo passivo. Diversos trabalhos têm demonstrado que fumar durante a gestação está associado a uma gama de fatores. Nesse contexto, esta pesquisa teve o objetivo de identificar fatores relacionados ao tabagismo na gestação. Trata-se de um estudo descritivo, transversal, realizado com 267 puérperas no período de fevereiro a maio de 2008. A coleta de dados ocorreu na Unidade de Internação Obstétrica do HCPA por meio de instrumentos preenchidos pelas participantes. Foi realizada análise descritiva e utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson e o teste de análise de variância. O projeto foi aprovado pela COMPESQ/EEUFRGS e pelo GPPG/HCPA. A análise dos dados permitiu identificar que 55,4% das puérperas eram não fumantes, 25,5% fumantes em abstinência e 19,1% fumantes, estando 51,3% na faixa etária de 18 a 25 anos. O tabagismo, na maioria das puérperas, se iniciou entre os 10 e 18 anos de idade e observou-se uma tendência para as mulheres com menor escolaridade serem tabagistas. Apenas 66% das puérperas receberam informações sobre o tabagismo durante o pré-natal e pode-se afirmar que as não fumantes fizeram mais consultas que as fumantes e fumantes em abstinência (p = 0,025). O número de mulheres com mais de um filho se mostrou maior entre as fumantes que entre as não fumantes e fumantes em abstinência (p = 0,002). Quanto à cessação do tabagismo, observa-se que as mulheres eram mais propensas a parar antes da gestação quando o companheiro não era fumante (p = 0,007). As médias de cigarros consumidos por dia no início da gestação por fumantes e fumantes em abstinência mostram que as que continuaram fumando consumiam quase o dobro em relação as que conseguiram parar. Os resultados permitem identificar que são vários os fatores que influenciam no tabagismo e na sua cessação em mulheres gestantes. Portanto, intervenções no pré-natal para a cessação entre gestantes fumantes e para evitar a exposição passiva das não fumantes devem ir ao encontro das necessidades das mulheres, levando em consideração suas características sociais, econômicas, demográficas e a presença de um fumante no lar.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/15999
Arquivos Descrição Formato
000669192.pdf (1.225Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.