Repositório Digital

A- A A+

"Mara sulada e dã ku torno" : performance, gênero e corporeidades no Grupo de Batukadeiras de São Martinho Grande (Ilha de Santiago, Cabo Verde)

.

"Mara sulada e dã ku torno" : performance, gênero e corporeidades no Grupo de Batukadeiras de São Martinho Grande (Ilha de Santiago, Cabo Verde)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título "Mara sulada e dã ku torno" : performance, gênero e corporeidades no Grupo de Batukadeiras de São Martinho Grande (Ilha de Santiago, Cabo Verde)
Autor Semedo, Carla Indira Carvalho
Orientador Lucas, Maria Elizabeth da Silva
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.
Assunto Antropologia da música
Antropologia social
Batuque
Cabo Verde
Corporeidade
Estudos de gênero
Gênero
Letras de música
Relações de poder
[en] Batuko
[en] Cape Verde
[en] Corporalities
[en] Gender
[en] Ku torno
[en] Performance
Resumo Este estudo sobre as redefinições das noções de gênero entre o grupo de batukadeiras de São Martinho Grande (Ilha de Santiago, Cabo Verde) visa analisar, a partir de suas trajetórias pessoais/profissionais, as performances das corporeidades femininas e masculinas no batuko, no ku torno e nas narrativas das letras de música. A reflexão apresentada parte da observação de que nessas performances emergem formas diferenciadas de se pensar os corpos femininos e masculinos e as relações de gênero, em direção a uma possível subversão das relações de poder entre homens e mulheres. Discuto como as noções estéticas do fazer batuko e tchabeta permitem-nos pensar os sentidos múltiplos dados ao batuko na relação entre as corporeidades de gênero e a realização do projeto individual de ser batukadeira profissional.
Abstract This study on redefinitions of gender relations among the group of batukadeiras of São Martinho Grande (Santiago Island, Cape Verde) attempts to analyze, through the batukadeira's personal and professional trajectories, the performance of female and male corporalities in the performative genres called batuko and ku torno, as well as in the batuko lyrics. The reflection presented departs from the observation that different ways to conceive female and male bodies and gender relations emerge from these performances, towards a possible subversion of power relations between men and women. Thus I discuss how aesthetic notions of making batuko and tchabeta allow us to think about the multiple senses given to batuko in the relation between gender corporalities and the individual achievement to become a professional batukadeira.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/16227
Arquivos Descrição Formato
000695072.pdf (2.102Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.