Repositório Digital

A- A A+

Long live the kingdom : narrative frequency in the waste land

.

Long live the kingdom : narrative frequency in the waste land

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Long live the kingdom : narrative frequency in the waste land
Autor Silva, Celso Lazaretti da
Orientador Maggio, Sandra Sirangelo
Data 2008
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Língua Moderna: Inglês: Licenciatura.
Assunto Eliot, Thomas Stearns 1888-1965.
Literatura inglesa
Narrativa
Poesia
[en] Anglo-american poetry
[en] Narrative frequency
[en] Narratology
[en] T. S. Eliot
[en] The waste land
Resumo Sombrio, polêmico e labiríntico, The Waste Land ocupa uma posição central na literatura modernista, bem como no cânone da poesia do século XX. O tour de force poético de T. S. Eliot, publicado em 1922, é celebrado por sua miríade fragmentária de estilos, vozes, imagens e até mesmo línguas. Mas há ordem no caos: mais de dois terços do revolucionário poema constituem-se de passagens narrativas de complexidade variada, desde simples memórias nostálgicas de infância a intrincados relatos aninhados de profecias apocalípticas. Este estudo aborda o seminal poema a partir do ponto de vista do campo da Narratologia, seguindo sua teoria e terminologia conforme definidas por Gérard Genette (1980) e aplicadas por Mieke Bal (1997), enfocando questões de freqüência narrativa, a fim de estabelecer os usos que o poema faz das freqüências singular e iterativa, bem como as relações entre tais instâncias e a expressividade semântica maior da obra.
Abstract Bleak, polemic and puzzling, The Waste Land occupies a central role in modernist literature, as well as in the poetry canon of the twentieth century. T. S. Eliot's 1922 poetic tour de force is celebrated for its fragmented myriad of styles, voices, images and even languages. But there is order in chaos: more than two thirds of the groundbreaking poem consist of narrative passages of varying complexity, ranging from simple, nostalgic childhood recollections to intricate embedded accounts of apocalyptic prophecies. This study approaches the seminal poem from the point of view of the field of Narratology, following its theory and terminology as defined by Gérard Genette (1980) and applied by Mieke Bal (1997), focusing on issues of narrative frequency in order to establish the poem's usage of singular and iterative frequency, as well as the relations between those instances and the greater semantic significance of the poem.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/16315
Arquivos Descrição Formato
000652730.pdf (1.415Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.