Repositório Digital

A- A A+

Doença crítica crônica : estamos salvando ou criando vítimas?

.

Doença crítica crônica : estamos salvando ou criando vítimas?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Doença crítica crônica : estamos salvando ou criando vítimas?
Outro título Chronic critical illness : are we saving patients or creating victims?
Autor Loss, Sergio Henrique
Nunes, Diego Silva Leite
Franzosi, Oellen Stuani
Salazar, Gabriela Soranco
Teixeira, Cassiano
Vieira, Silvia Regina Rios
Resumo Os avanços tecnológicos que permitem dar suporte às disfunções de órgãos levaram a um aumento nas taxas de sobrevivência para a maioria dos pacientes críticos. Alguns destes pacientes sobrevivem à condição crítica inicial, porém continuam a sofrer com disfunções de órgãos e permanecem em estado inflamatório por longos períodos. Este grupo de pacientes críticos foi descrito desde os anos 1980 e teve diferentes critérios diagnósticos ao longo dos anos. Sabe-se que estes pacientes têm longas permanências no hospital, sofrem importantes alterações do metabolismo muscular e ósseo, apresentam imunodeficiência, consomem quantias substanciais de recursos de saúde, têm reduzida capacidade funcional e cognitiva após a alta, demandam uma considerável carga de trabalho para seus cuidadores, e apresentam elevadas taxas de mortalidade em longo prazo. O objetivo desta revisão foi apresentar as evidências atuais, em termos de definição, fisiopatologia, manifestações clínicas, tratamento e prognóstico da doença crítica persistente.
Abstract The technological advancements that allow support for organ dysfunction have led to an increase in survival rates for the most critically ill patients. Some of these patients survive the initial acute critical condition but continue to suffer from organ dysfunction and remain in an inflammatory state for long periods of time. This group of critically ill patients has been described since the 1980s and has had different diagnostic criteria over the years. These patients are known to have lengthy hospital stays, undergo significant alterations in muscle and bone metabolism, show immunodeficiency, consume substantial health resources, have reduced functional and cognitive capacity after discharge, create a sizable workload for caregivers, and present high longterm mortality rates. The aim of this review is to report on the most current evidence in terms of the definition, pathophysiology, clinical manifestations, treatment, and prognosis of persistent critical illness.
Contido em Revista Brasileira de Terapia Intensiva. São Paulo : AMIB. Vol. 29, n. 1 (jan./mar. 2017), p. 87-95
Assunto Alostase
Doença crônica
Estado terminal
Mortalidade
Respiração artificial
Traqueotomia
[en] Allostasis
[en] Chronic disease
[en] Critical illness
[en] Mortality
[en] Respiration artificial
[en] Tracheotomy
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/163206
Arquivos Descrição Formato
001021901.pdf (220.3Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.