Repositório Digital

A- A A+

Padrão de dispensação de medicamentos em uma farmácia pública municipal do estado do Rio Grande do Sul

.

Padrão de dispensação de medicamentos em uma farmácia pública municipal do estado do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Padrão de dispensação de medicamentos em uma farmácia pública municipal do estado do Rio Grande do Sul
Autor Costa, Mariana Portal da
Orientador Silva, Clecio Homrich da
Data 2017
Nível Mestrado profissional
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde.
Assunto Assistência farmacêutica
Farmacoepidemiologia
Uso de medicamentos
[en] Drug utilization
[en] Pharmaceutical services
[en] Pharmacoepidemiology
[en] Teaching in health
Resumo Introdução: Nos últimos anos, o consumo de medicamentos tem aumentado em todo o mundo e também no Brasil. Investigar este consumo numa determinada população é relevante para a gestão da política de medicamentos e o gerenciamento dos recursos em saúde, pois serve como ferramenta no planejamento de ações de prevenção e promoção de saúde. Objetivo: Descrever a prevalência e a tendência de consumo de medicamentos por intermédio da dispensação numa Farmácia Pública Municipal no período de oito anos. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo, baseado em dados secundários obtidos por meio dos relatórios de dispensação de medicamentos do sistema informatizado da Farmácia Pública Municipal de Glorinha (RS) no período de 2008 a 2015. A população do estudo constitui-se de todos os usuários que tiveram pelo menos um medicamento da Relação Municipal de Medicamentos. As variáveis demográficas foram sexo e idade. Para fins de análise, os medicamentos foram categorizados no primeiro (Grupo Anatômico – GA), segundo (Grupo Terapêutico Principal – GTP) e quinto nível (Substância Química – SQ) da classificação Anatomical Therapeutic Chemical (ATC) e seu consumo analisado pela Dose Diária Definida (DDD) por 1.000 habitantes por dia. Resultados: A população do estudo foi 9.967 pessoas, sendo o maior percentual do sexo feminino (52,8%) e a faixa etária mais prevalente de 0 a 9 anos (16,2%). O consumo pelas mulheres é maior que os homens em todas as faixas etárias. Em relação ao consumo de medicamentos dispensados por usuário por ano: os GA mais prevalentes foram sistema nervoso (22,1%) e sistema cardiovascular (19,5%); os GTP mais prevalentes foram anti-inflamatórios e antirreumáticos (11,3%) e analgésicos (10,5%) e as SQ mais consumidas foram ibubrofeno (11,3%) e paracetamol (9,9%). Quanto à quantidade de unidades farmacêuticas dispensadas por ano: os GA mais prevalentes foram sistema (43,1%) e sistema nervoso (26,7%); os GTP mais prevalentes foram os agentes com ação no sistema renina-angiotensina (18,0%) e psicoanalépticos (10,8%) e as SQ mais consumidas foram captopril (8,9%) e enalapril (7,9%). Sobre o total da DDD (DDD/1.000 habitantes/dia): os GA de maior consumo foram os medicamentos do sistema cardiovascular (47,6%) e do sistema nervoso (15,3%); os GTP mais utilizados foram os medicamentos com ação no sistema renina-angiotensina (22,7%) e os diuréticos (10,3%) e as SQ mais utilizadas foram enalapril (14,7%) e omeprazol (9,6%). Dentre os medicamentos disponibilizados foi observado um maior decréscimo de dispensação nos seguintes grupos terapêuticos principais: ação no sistema renina-angiotensina (93,0%), na diabetes (82,4%) e os diuréticos (79,0%). Conclusões: Apesar da ampliação do acesso da população aos medicamentos pelas políticas públicas vigentes de Assistência Farmacêutica, a expressiva e crescente prevalência de consumo e a sua utilização de forma não racional causa preocupação. Dentro deste contexto, o profissional farmacêutico desempenha um papel relevante na compreensão e enfrentamento do problema e, desta forma, pode também contribuir na elaboração de estratégias para educação em saúde e para o uso racional de medicamentos na população por intermédio de estudos na área de Farmacoepidemiologia.
Abstract Introduction: In recent years, the consumption of medicinal products has increased worldwide and also in Brazil. Investigating this consumption in a given population is relevant for the management of health resources, as it serves as a tool in the planning of health preventive and promotion actions. Objectives: Describing the prevalence and trend of the consumption of medicinal products through the dispensing procedure at a Municipal Public Pharmacy over a period of eight years. Methodology: This is a descriptive, retrospective study, based on secondary data obtained through the reports of dispensing procedures of medicines from the computerized system of the Municipal Public Pharmacy in Glorinha (RS), from 2008 to 2015. The studied population consisted of all users who got at least one medication from the Municipal Medication List. Demographic variables were sex and age. For the purposes of analysis, the medicinal products were categorized in the first (Anatomical Group – AG), second (Therapeutic Subgroup – TS) and fifth level (Chemical Substance – CS) of the Anatomical Therapeutic Chemical (ATC) classification, and its consumption analyzed by the Defined Daily Dose DDD (1,000 inhabitants per day). Results: The studied population was 9,967 people, the highest percentage being female (52.8%) ant the most prevalent age group that of 0 to 9 years old (16.2%). Consumption by women is greater than men in all age groups. Respecting the consumption of medicines dispensed to users per year: the most prevalent AG were nervous system (22.1%) and cardiovascular system (19.5%); the most prevalent TS were antiinflammatory and antirheumatic (11.3%) and analgesics (10.5%), and the most commonly consumed CS were ibuprofen (11.3%), and acetaminophen (9.9%). Regarding the quantity of pharmaceutical units dispensed per year: the most prevalent AG were cardiovascular system (43.1%) and nervous system (26.7%); the most prevalent TS were agents action on the renin angiotensin system (18.0%) and psychoanalytics (10.8%), and the most commonly used CS were captopril (8.9%) and enalapril (7.9%). About the total DDD (DDD/1,000 inhabitants/day): the most consumed AG were the cardiovascular system medications (47.6%) and the nervous system (15.3%); the most used TS were the medicines with action in the renin angiotensin system (22.7%) and the diuretics (10.3%) and the most used CS were enalapril (14.7%) and omeprazole (9.6%). Among the medicinal products available, a greater decrease in the following main therapeutic groups was observed: action in the renin angiotensin system (93.0%), diabetes (82.4%) and diuretics (79.0%). Conclusions: Despite the increasing access of the population to medication by the current public policies of Pharmaceutical Assistance, the expressive and growing prevalence of consumption and its use of form non-rational causes concern. Within this context, the pharmacy professional plays a relevant role in understanding and coping with the problem and, in this way, can also contribute in the elaboration of strategies for health education and for the rational use of medicines in the population through studies in the area of Pharmacoepidemiology.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/163568
Arquivos Descrição Formato
001024706.pdf (2.744Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.