Repositório Digital

A- A A+

Análise da helmintofauna de Tadarida brasiliensis (I. Geoffrey, 1824) (Mammalia, Chiroptera) do município de Montenegro, Rio Grande do Sul, Brasil

.

Análise da helmintofauna de Tadarida brasiliensis (I. Geoffrey, 1824) (Mammalia, Chiroptera) do município de Montenegro, Rio Grande do Sul, Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise da helmintofauna de Tadarida brasiliensis (I. Geoffrey, 1824) (Mammalia, Chiroptera) do município de Montenegro, Rio Grande do Sul, Brasil
Autor Moreira, Ana Carolina Reis Guterres
Orientador Marques, Cláudia Calegaro
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Helmintofauna
Montenegro (RS)
Tadarida brasiliensis
Resumo A ordem Chiroptera é o segundo grupo com maior diversidade de espécies entre os mamíferos. O estado do Rio Grande do Sul possui uma significativa riqueza de morcegos, com 40 espécies registradas. Algumas espécies de quirópteros encontraram condições favoráveis para se estabelecerem nos centros urbanos devido à disponibilidade de abrigos e alimento. Dentre estas espécies podemos destacar Tadarida brasiliensis, um molossídeo insetívoro que é a espécie de morcego mais abundante encontrada na região metropolitana de Porto Alegre. Algumas áreas no campo da quiropterologia carecem de mais estudos, dentre as quais podemos destacar o campo da helmintofauna. Conhecer a biodiversidade de helmintos é necessário porque as espécies deste grupo desempenham um papel importante nos ecossistemas e ao interagir com seus hospedeiros, por exemplo, podem alterar seus comportamentos, regular suas populações e influenciar padrões de dispersão. Com o intuito de analisar a fauna de helmintos de Tadarida brasiliensis foram coletados 63 espécimes no município de Montenegro/RS. Estes morcegos foram necropsiados e analisados no Laboratório de Helmintologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi coletado um total de 451 endoparasitos, com intensidade média de infecção de 10,25 espécimes/hospedeiro. A riqueza da helmintofauna de Tadarida brasiliensis foi de oito espécies, sendo seis digenéticos (Urotrema scabridum; Limatulum oklahomense; Postorchigenes paraguayensis; Parabascus limatulus; Ochoterenatrema sp. e uma espécie não identificada da superfamília Microphalloidea), um cestoide (Vampirolepis decipiens) e um nematoide (Tadaridanema delicatus). Duas destas espécies foram consideradas dominantes, quatro codominantes e duas subordinadas. Do total de helmintos coletados 60,97% estavam parasitando os morcegos fêmeas. Apesar disso, constatou-se que a riqueza e abundância de espécies de helmintos não sofreu influência das variáveis sexo e maturidade dos hospedeiros. Vampirolepis decipiens foi o helminto que teve maior prevalência, intensidade e abundância média de infecção. Nenhuma das espécies encontradas parasitando Tadarida brasiliensis foi relatada na literatura utilizando humanos como hospedeiros definitivos. Ao que tudo indica estas espécies de parasitos são exclusivas de quirópteros e provavelmente não causariam nenhum dano à saúde pública.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/163715
Arquivos Descrição Formato
001020644.pdf (2.422Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.