Repositório Digital

A- A A+

Capacidade de trabalho e qualidade de vida em trabalhadores de indústria

.

Capacidade de trabalho e qualidade de vida em trabalhadores de indústria

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Capacidade de trabalho e qualidade de vida em trabalhadores de indústria
Autor Beltrame, Mara Rubia Silva
Orientador Xavier, Ricardo Machado
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Autoavaliação
Avaliação da capacidade de trabalho
Estudos de validação
Qualidade de vida
Questionários
Resumo Este trabalho foi desenvolvido em uma empresa metalúrgica de porte médio de fabricação de embalagens metálicas, com objetivo de analisar a qualidade de vida e a capacidade de trabalho dos empregados de diversos setores de trabalho e de diferentes turnos. Trata-se de um estudo transversal de 119 trabalhadores, incluindo as áreas de administração, produção e segurança. Foi aplicado o questionário de Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT), elaborado pelo Instituto de Saúde Ocupacional da Finlândia, e o WHOQOL- Bref, versão abreviada do WHOQOL-100, elaborado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para a qualidade de vida. Ambos são instrumentos de auto-avaliação e auto-aplicáveis. Utilizou-se também um questionário geral para obtenção de dados para caracterização da amostra. Como resultados, a população em estudo se caracteriza por apresentar idade média de 39,1 ± 10 anos e ser na maioria do sexo masculino (93,3%), praticam atividade física 62,2%. A distribuição dos trabalhadores por turnos foi de 71,4% no diurno e 28,6% no noturno, tendo o setor de produção o maior número, com 64,7% dos trabalhadores. Em termos de escolaridade, 42% dos trabalhadores estudados tinham o ensino fundamental 38,8% o ensino médio e 13,27% o ensino superior. O ICT foi classificado como nível moderado em 5%, bom em 37,8% e ótimo em 56,3%. Os escores da QV foram de 81,8 no domínio físico, 77,9 no domínio psicológico, 65,9 no domínio de relacionamento em de 79 no domínio meio ambiente. No estudo de correlações estatisticamente significativas, observou-se uma baixa associação entre o Índice de Capacidade de Trabalho e os domínios físico (r=0,19, p= 0,036) e psicológico (r=0,20, p=0,029) do WHOQOL. Não houve correlação entre o ICT e setor de trabalho, turno, atividade física regular, sexo, idade e nível de escolaridade. Em conclusão, estudando uma população de trabalhadores de uma indústria metalúrgica, observamos médias elevadas de capacidade de trabalho, medida pelo ICT. Entre possíveis determinantes da capacidade de trabalho, observamos apenas uma correlação com os domínios físicos e psicológicos da qualidade de vida avaliada pelo WHOQOL-Bref, demonstrando a importância desses dois aspectos na atividade profissional. Entretanto, como a magnitude dessa correlação foi baixa na população estudada, seria interessante estudar outras populações de trabalhadores que incluam uma parcela maior de indivíduos classificados como tendo baixa capacidade de trabalho.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/16376
Arquivos Descrição Formato
000699034.pdf (205.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.