Repositório Digital

A- A A+

Evaluation of genomic instability and cancer prevention

.

Evaluation of genomic instability and cancer prevention

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Evaluation of genomic instability and cancer prevention
Outro título Avaliação da instabilidade genômica e prevenção de câncer
Autor Maluf, Sharbel Weidner
Riegel, Mariluce
Almeida Junior, Sílvio L. W.
Jaeger, Janaína Pacheco
Souza, Ana Paula Lazzaretti de
Santana, Valcinete F.
Dorfman, Luiza Emy
Trombetta, Giselle Benvenutti
Bacelar, Alexandre
Erdtmann, Bernardo
Resumo OBJECTIVES: This study aimed at verifying the damage index acquired from the environment and from an inherited condition in the leukocytes of workers occupationally exposed to Xradiation and antineoplastic drugs, patients with Down syndrome, Fanconi anemia, and controls. MATERIAL AND METHODS: Cytokinesis-block micronucleus assay (CB-MN) and single-cell-gel electrophoresis (SCGE) were employed in 22 workers potentially exposed to X-radiation and 22 controls matched for age, sex, and smoking habits from a hospital in southern Brazil. The same evaluation was employed in 12 individuals who had been occupationally exposed to antineoplastic drugs and in 14 patients with Fanconi anemia (FA), 30 with Down syndrome (DS), and 30 controls, in order to examine the sensitivity of the techniques to detect specific genome instability exposed individuals. In individuals handling antineoplastic drugs, no statistically difference was found when using CB-MN; however, the mean value of SCGE was significantly higher in exposed individuals when compared to controls. Down syndrome presented an increase just in the SCGE technique; the frequency of micronuclei and dicentric bridges was similar to that found in controls. Both CB-MN and SCGE showed increased genetic damage in the cells of individuals with Fanconi anemia. The high frequency of micronuclei seems to be due to clastogenic events, since the frequency of dicentric bridges was also elevated. DISCUSSION: Both methods are efficient for monitoring mutagenic events in exposed populations or individuals presenting genetic instability. CB-MN represents a longer time of exposure, while SCGE detects momentary DNA damage and/or repair activity. The combination of both techniques is recommended to monitor chronically exposed populations. Changes in lifestyle may constitute an important way of preventing carcinogenesis, either in individuals presenting increased risk and in the general population.
Abstract OBJETIVOS: Este estudo teve como objetivo avaliar o nível de mutagênese em indivíduos normais não expostos, em trabalhadores expostos à radiação ionizante e drogas antineoplásicas e em indivíduos portadores de doenças genéticas, comparando os níveis de mutagênese herdada com aqueles adquiridos por exposição a mutágenos.MÉTODOS: A técnica de micronúcleo em linfócitos do sangue periférico e a técnica do cometa ou eletroforese em célula única foram empregados em 22 trabalhadores potencialmente expostos à radiação X, 12 potencialmente expostos a drogas antineoplásicas, 34 controles adultos, 14 pacientes com anemia de Fanconi (AF), 30 com síndrome de Down (SD) e 30 controles infantis, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. RESULTADOS: As duas técnicas mostraram um aumento no dano genético em células de indivíduos expostos a radiação-X. Nos indivíduos que manuseiam drogas antineoplásicas, não foi encontrada diferença significativa com a técnica de micronúcleo; no entanto, o índice de dano avaliado pela técnica do cometa foi significativamente maior em indivíduos expostos em relação a controles. Pacientes com síndrome de Down apresentaram um aumento no índice medido pela técnica do cometa; a freqüência de micronúcleos e pontes dicêntricas foi semelhante ao valor encontrado em controles. Tanto a técnica de micronúcleo como a técnica do cometa mostraram aumento de dano genético nas células de indivíduos com anemia Fanconi. A alta freqüência de micronúcleos parece ser devida a eventos clastogênicos, uma vez que a freqüência de pontes dicêntricas também se encontrava elevada. DISCUSSÃO: As duas técnicas são eficientes na monitoração de eventos mutagênicos em populações expostas ou em indivíduos que apresentam instabilidade genética. A técnica de micronúcleo representa um tempo maior de exposição, enquanto que a técnica do cometa detecta dano momentâneo ao DNA e/ou atividade de reparo. A combinação das duas técnicas é recomendada para monitorar populações cronicamente expostas. Mudanças no estilo de vida podem constituir uma forma importante de prevenir carcinogênese, tanto em indivíduos que apresentam risco aumentado como na população em geral.
Contido em Revista HCPA. Vol. 21, n. 3 (dez. 2001), p. 276-285
Assunto Aberrações cromossômicas
Anemia de Fanconi
Antineoplásicos
Exposição à radiação
Mutagenese
Neoplasias : Prevenção e controle
Síndrome de Down
Testes de cometa
Testes para micronúcleos
Toxicidade de drogas
[en] Agentes antineoplásicos
[en] Anemia Fanconi
[en] Síndrome de Down
[en] Técnica de micronúcleo
[en] Técnica do cometa
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/163863
Arquivos Descrição Formato
000330320.pdf (47.94Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.