Repositório Digital

A- A A+

A "produção de autonomia e cidadania" em saúde mental : problematizações e construções possíveis a partir de uma pesquisa em associação

.

A "produção de autonomia e cidadania" em saúde mental : problematizações e construções possíveis a partir de uma pesquisa em associação

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A "produção de autonomia e cidadania" em saúde mental : problematizações e construções possíveis a partir de uma pesquisa em associação
Autor Chassot, Carolina Seibel
Orientador Silva, Rosane Azevedo Neves da
Data 2017
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Autonomia
Cidadania
Pacientes psiquiátricos
Reforma psiquiátrica
Serviços de saúde mental
[en] Association
[en] Autonomy
[en] Citizenship
[en] Psychiatric reform
[en] Service user
Resumo Esta tese toma como problema a "produção de cidadania e autonomia do usuário de saúde mental'·. Esta formulação. bastante recorrente mas pouco discut ida dentro do campo da saúde mental. é tomada como uma espécie de '·missão'· da reforma psiquiátrica. Cidadania e autonomia. nesta formulação apresentam-se como algo a ser produzido no "usuário". seja em se rviços de saúde. em espaços polít icos. em associações de saúde mental. Esta noção é estr nhada. primeiramente apartir do contraste estabelecido entre um movimento social estrangeiro o movimento bri técnico de sobreviventes e o usuá rio de saúde mental" dentro da reforma psiquiátrica. Colocando estas d uas realidades lado a lado. pro curamos evidenciar que. sob os ideais pouco d iscut idos de cidad a nia e a utonomia. encontram-se práticas que muitas vezes reforçam ae o silenciamento da experiência dos "usuários". As associações de saúde mental emergem no campo problemático como ent idades onde cidadania e a utonomia ocupam um lugar central. visto q ue acumulam dema ndas de inclusão social. defesa de direitos geração de renda e autonomização dos "usuários". A aposta metodológica na pesquisa-intervenção possibilitou que pmticipássemos diretamente da const it uição de uma associação de saúde mental. a Associação Construção. Explicitou-se então o caráter paradoxal da proposta de produzir cidada nia e a utonomia. visto que a sobrecarga de demandas e a fragilidade do contexto social em que se inserem as associações fazem com que elas se vejam facilmente a prisionadas em relações verticais. Algo que experimentamos no processo mesmo em meio a tentativas de imprimir horizontalidade às relações. de produzir autonomia e cidadania. A partir desta experiência inicial propusemos um novo dispositivo dentro da associação que pudesse modificar as relações de saber/poder entre usuários e profissionais. Os associados foram convidados a compartilhar a atividade de pesquisa. em um aprofundamento da dimensão participativa da pesquisa-intervenção. Nesta pesquisa. realizada ao longo de um ano um saber distinto se produz pa rt ir do agenciamento entre saberes. pert urba ndo ident idades. transversa lizando o colet ivo. A exper iência de pesquisar perm itiu reconfigurar o problema da tese. colocando a q uestão da a utonomia e da cidada nia de outra forma. Não mais lgo a ser produzido no usuário mas em uma perspectiva micropolítica na qual só se tornam possíveis como exercícios realizados entre os sujeitos envolvidos. em uma relação de a fetação mút ua e de invenção ou seja em associação.
Abstract This thesis takes as a problem the produ tion of itizenship and autonomy of the men- tal health servi e user . This formulation, quite re urrent but not very oftenly dis ussed within the eld of mental health, is taken as a kind of mission of the brazilian psy hi- atri reform. Citizenship and autonomy are interrogated and investigated to emerge as something to be produ ed from an external, instrumental a tion. The entral argument of the thesis is that what we all autonomy and itizenship are nothing more than exer ises, than relationships. We propose to think of itizenship and autonomy in a mi ropolit- i al perspe tive, in whi h they only be ome possible between the subje ts involved, in their asso iation, that is, in a relationship of mutual a e tation and invention. From the ontrast between the British survivor movement and the pla e of mental health servi e users within the psy hiatri reform, we try to show that under the ideals of itizenship and autonomy may be hidden pra ti es that reinfor e the tutoring and silen ing of the user experien e. Mental health asso iations in Brazil, usually omposed of users , pro- fessionals and family members, re eive demands for so ial in lusion, advo a y, in ome generation, and empowerment of the users , making them relevant pla es to resear h this problem. The methodologi al tool of intervention-resear h allowed the resear her to par- ti ipate in the onstitution of a mental health asso iation, alled Asso iação Construção. In this experien e, it be ame possible to re ognize diverse for es that ross the prob- lemati eld, explaining the paradoxi al hara ter of the aforementioned mission. The overload of demands and the fragility of the so ial ontext in whi h the asso iations are inserted make them easily trapped in verti al relations, something that was experien ed by the resear her, despite attempts to a hieve horizontality. From this initial experien e, the asso iates were invited to ondu t a parti ipatory resear h. Deepening the parti i- patory dimension of intervention- resear h was thought as a devi e, as something that ould modify the relationships that had been established within the group, in reasing its oe ient of transversality. From the parti ipatory resear h experien e, displa ements were produ ed that allowed to rethink the gures of itizenship and autonomy, from its mi ropoliti al dimension.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/163930
Arquivos Descrição Formato
001025749.pdf (3.477Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.