Repositório Digital

A- A A+

A pior ilusão possível : psicanálise, arte e espetáculo

.

A pior ilusão possível : psicanálise, arte e espetáculo

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A pior ilusão possível : psicanálise, arte e espetáculo
Autor Frantz, Marília Zancan
Orientador Sousa, Edson Luiz Andre de
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Arte
Comunicação : Aspectos sociais
Laço social
Psicanálise
Sociedade contemporânea
[en] Art
[en] Muniz, Vik
[en] Psychoanalysis
[en] Social bond
[en] Spectacle
Resumo Esta pesquisa nasceu da escuta clínica, de uma preocupação com o que os sujeitos compartilham entre si da cultura e que afeta sua maneira de sofrer. Num mundo globalizado, capitalista, no qual a vida das pessoas se organiza em torno do consumo, pela informação que chega “em tempo real” através de telas, e que a comunicação e o contato se dão cada vez mais de maneira remota, se colocou a questão da mediação do laço social pela imagem, a respeito dos diferentes tipos de imagens e os efeitos que produzem no sujeito e no laço social. A metodologia de pesquisa é a do ensaio, uma vez que o ato de escrever é que é a própria metodologia do trabalho: elaboração de leituras e pensamentos, que é engendrada no momento da escrita e não escapa de um endereçamento ao outro. Foram utilizadas como principais referênciais as obras de Jacques Lacan, Guy Debord e o trabalho do artista plástico Vik Muniz. Não houve pretensão de esgotar o tema de pesquisa proposto, uma vez que formular uma questão é sempre deparar-se em seguida com uma pergunta nova, mas apenas lançar considerações sobre o espetáculo enquanto uma relação capitalista com a imagem, e o papel da arte e da psicanálise na promoção de utopias que sirvam para abrir brechas no poder instituído.
Abstract This research is born from clinical listening, from a concern about what the subjects share with each other from their culture and that affects their way of suffering. In a globalized world, capitalist, in which people's lives are organized around consumption, by incoming information "in real time" through screens and communication and contact are more and more remote, came the question about the mediation of the social bond by images, about the different types of images and the effects they produce in the subject and the social bond. The research methodology is the assay, since the act of writing is the very methodology of work: elaboration of readings and thoughts, which is engendered in the writting process and does not escape from being addressed to the other. Were used as the main references the theories of Jacques Lacan, Guy Debord and the work of the artist Vik Muniz. There was no pretension of exhausting the proposed research topic, since formulating a question is always being faced then with a new one, we just put in spot some considerations about the spectacle as a capitalistic relation to the image, and the role of art and psychoanalysis in promoting utopias that serve to open gaps in the established power.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/163941
Arquivos Descrição Formato
001025650.pdf (1.677Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.